O ESPÍRITO SANTO NOS RENOVA PELO BATISMO.


O Pai Envia seu espírito sobre Nós.


O ESPÍRITO SANTO, que é Deus juntamente com o Pai e o Filho, nos renova pelo batismo; e do nosso estado de imperfeição, reintegra-nos na beleza primitiva. Torna-nos de tal forma repletos de sua graça, que não podemos admitir em nós qualquer coisa que não deva ser desejada. Além disso, liberta-nos do pecado e da morte. E de terrenos que somos, quer dizer, feitos do pó da terra, nos faz espirituais, participantes da glória divina, filhos e herdeiros de Deus Pai. Faz-nos ainda conformes à imagem do Filho, seus co-herdeiros e irmãos, destinados a ser um dia glorificados e a reinar com ele. Em vez da terra, dá-nos de novo o céu, abre-nos generosamente as portas do paraíso, honra-nos mais do que os próprios anjos. E com as águas divinas do batismo, apaga as imensas e inextinguíveis chamas do inferno.

Os homens são concebidos duas vezes: uma corporalmente, a outra, pelo divino Espírito. Acerca de um e de outro nascimento, escreveram muito bem os autores sagrados. Citarei o nome e a doutrina de cada um. João diz: A todos que o receberam, deu-lhes a capacidade de se tornarem filhos de Deus, isto é, aos que acreditam em seu nome, pois estes não nasceram do sangue nem da vontade da carne nem da vontade do homem, mas de Deus mesmo (Jo 1,12-13). Todos os que acreditaram em Cristo, afirma ele, receberam a capacidade de se tornarem filhos de Deus, quer dizer, do Espírito Santo, e participantes da natureza divina.

E para ficar bem claro que o Deus que gera é o Espírito Santo, acrescenta estas palavras de Cristo: Em verdade, em verdade, te digo, se alguém não nasce da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus (Jo 3,5). A fonte batismal dá à luz de maneira visível nosso corpo visível, pelo ministério dos sacerdotes; mas o Espírito de Deus, invisível a todas as inteligências, é que batiza e regenera simultaneamente o corpo e a alma, pelo ministério dos anjos.

João Batista, historicamente e de acordo com esta expressão: da água e do Espírito, diz a respeito de Cristo: Ele vos batizará no Espírito Santo e no fogo (Mt 3,11; Lc 3,16). Como um vaso de barro, o homem precisa primeiro ser purificado pela água; em seguida, fortalecido e aperfeiçoado pelo fogo espiritual (Deus, com efeito, é um fogo devorador). Precisamos, portanto, do Espírito Santo para nossa perfeição e renovação. Pois o fogo espiritual sabe também regar, e a água batismal é também capaz de queimar como o fogo.
Fonte: Do Tratado sobre a Trindade, de Dídimo de Alexandria

Semeando a cultura de Pentecostes



SOLENIDADE DE PENTECOSTES.

HOMILIA DO PAPA BENTO XVI

Basílica de São Pedro
Domingo, 31 de Maio de 2009

Cada vez que celebramos a Eucaristia, vivemos na fé o mistério que se realiza no altar, ou seja, participamos no supremo gesto de amor que Cristo realizou com a sua morte e ressurreição. O único e idêntico centro da liturgia e da vida cristã o mistério pascal adquire então, nas diversas solenidades e festas, “formas” específicas, com ulteriores significados e com particulares dons da graça. Entre todas as solenidades, o Pentecostes distingue-se por importância, porque nela se verifica aquilo que o próprio Jesus anunciara como a finalidade de toda a sua missão na terra. Com efeito, enquanto subia para Jerusalém, declarara aos discípulos:  “Vim lançar fogo sobre a terra; e que quero Eu, senão que ele já tenha sido ateado?” (Lc 12, 49). Estas palavras encontram a sua mais evidente realização cinquenta dias depois da ressurreição, no Pentecostes, antiga festa judaica que na Igreja se tornou a festividade por excelência do Espírito Santo:  “Viram, então, aparecer umas línguas de fogo… e todos ficaram cheios de Espírito Santo” (Act 2, 3-4). O verdadeiro fogo, o Espírito Santo, foi trazido sobre a terra por Cristo. Ele não o arrebatou dos deuses, como fez Prometeu segundo o mito grego, mas fez-se mediador do “dom de Deus”, obtendo-o para nós com o maior gesto de amor da história:  a sua morte na cruz.

Deus quer continuar a doar este “fogo” a cada geração humana e, naturalmente, é livre de o fazer como e quando o quer. Ele é espírito, e o espírito “sopra onde quer” (cf. Jo 3, 8). Porém, existe um “caminho normal” que o próprio Deus escolheu para “lançar fogo sobre a terra”:  este caminho é Jesus, o seu Filho Unigénito encarnado, morto e ressuscitado. Por sua vez, Jesus Cristo constituiu a Igreja como o seu Corpo místico, para que prolongue a sua missão na história. “Recebei o Espírito Santo” disse o Senhor aos Apóstolos, na tarde da ressurreição, acompanhando estas palavras com um gesto compreensivo:  “soprou” sobre eles (cf. Jo 20, 22). Assim, manifestou que lhes transmitia o seu Espírito, o Espírito do Pai e do Filho. Agora, caros irmãos e irmãs, na hodierna solenidade a Escritura diz-nos mais uma vez como deve ser a comunidade, como devemos ser nós para receber o dom do Espírito Santo. Na narração, que descreve o acontecimento do Pentecostes, o Autor sagrado recorda que os discípulos “se encontravam todos reunidos no mesmo lugar”. Este “lugar” é o Cenáculo, a “sala no andar de cima” onde Jesus realizara a última Ceia com os seus Apóstolos, onde lhes aparecera ressuscitado; aquela sala que se tinha tornado, por assim dizer, a “sede” da Igreja nascente (cf. Act 1, 13). Todavia, mais do que insistir sobre o lugar físico, os Actos dos Apóstolos tencionam acentuar a atitude interior dos discípulos:  “Todos, unidos pelo mesmo sentimento, se entregavam assiduamente à oração” (Act 1, 14). Por conseguinte, a concórdia dos discípulos é a condição para que venha o Espírito Santo; e a condição prévia da concórdia é a oração.

Queridos irmãos e irmãs, isto é válido também para a Igreja de hoje, é válido para nós que estamos aqui congregados. Se quisermos que o Pentecostes não se reduza a um simples rito ou a uma comemoração até muito sugestiva, mas seja um acontecimento actual de salvação, temos que nos predispor em expectativa religiosa do dom de Deus, mediante a escuta humilde e silenciosa da sua Palavra. A fim de que o Pentecostes se renove no nosso tempo, talvez seja necessário sem nada tirar à liberdade de Deus que a Igreja esteja menos “angustiada” com as actividades e mais dedicada à oração. É quanto nos ensina a Mãe da Igreja, Maria Santíssima, Esposa do Espírito Santo. Este ano o Pentecostes é celebrado precisamente no último dia de Maio, em que habitualmente se comemora a festa da Visitação. Também ela foi uma espécie de pequeno “pentecostes”, que fez jorrar a alegria e o louvor dos corações de Isabel e de Maria, uma estéril e a outra virgem, e ambas se tornaram mães graças à extraordinária intervenção divina (cf. Lc 1, 41-45). A música e o canto, que acompanham esta nossa liturgia, ajudam-nos também eles a sermos concordes na oração, e por isso exprimo o profundo reconhecimento ao Coro da Catedral e à Kammerorchester de Köln. Com efeito, para esta liturgia, no bicentenário da morte de Joseph Haydn, foi escolhida muito oportunamente a sua Harmoniemesse, a última “Missa” composta pelo grande músico, uma sublime sinfonia para a glória de Deus. A todos vós que viestes para esta circunstância, dirijo a minha saudação mais cordial.

Para indicar o Espírito Santo, na narração do Pentecostes os Actos dos Apóstolos recorrem a duas imagens principais:  a imagem da tempestade e do fogo. Claramente, São Lucas tem em mente a teofania do Sinai, descrita nos livros do Êxodo (cf. 19, 16-19) e do Deuteronómio (cf. 4, 10-12.36). No mundo antigo, a tempestade era vista como um sinal do poder divino, em cuja presença o homem se sentia subjugado e terrorizado, mas gostaria de sublinhar também mais um aspecto:  a tempestade é descrita como “vento impetuoso”, e isto faz pensar no ar, que distingue o nosso planeta dos outros astros e nos permite viver nele. O que o ar é para a vida biológica, o Espírito Santo é para a vida espiritual; e dado que existe uma poluição atmosférica que envenena o ambiente e os seres vivos, assim há também uma poluição do coração e do espírito, que mortifica e envenena a existência espiritual. Do mesmo modo como não podemos habituar-nos aos venenos do ar e por isso o compromisso ecológico representa hoje em dia uma prioridade da mesma forma deveríamos agir com relação àquilo que corrompe o espírito. No entanto, parece que a muitos produtos que poluem a mente e o coração, e que circulam nas nossas sociedades por exemplo, as imagens que espectacularizam o prazer, a violência e o desprezo pelo homem e pela mulher a isto parece que nos habituamos sem dificuldades. Também isto é liberdade, diz-se, sem reconhecer que tudo aquilo que polui, intoxica a alma principalmente das novas gerações e acaba por condicionar a sua própria liberdade. A metáfora do vento impetuoso do Pentecostes faz pensar no modo como, ao contrário, é precioso respirar o ar puro, quer com os pulmões, o ar físico, quer com o coração, o ar espiritual, o ar salubre do espírito que é a caridade!

A outra imagem do Espírito Santo que encontramos nos Actos dos Apóstolos é o fogo. No início mencionei o confronto entre Jesus e a figura mitológica de Prometeu, que evoca um aspecto característico do homem moderno. Apropriando-se das energias do cosmos o “fogo” hoje o ser humano parece afirmar-se como deus e desejar transformar o mundo excluindo, pondo de lado ou até rejeitando o Criador do universo. O homem já não quer ser imagem de Deus, mas de si mesmo; declara-se autónomo, livre e adulto. Evidentemente, tal atitude revela uma relação não autêntica com Deus, consequência de uma imagem falsa que se constrói dele, como o filho pródigo da parábola evangélica que pensa em realizar-se a si mesmo, afastando-se da casa do pai. Nas mãos de um homem assim, o “fogo” e as suas enormes potencialidades tornam-se perigosos:  podem voltar-se contra a vida e contra a própria humanidade, como demonstra a história. Como perene admoestação permanecem as tragédias de Hiroxima e Nagasáqui, onde a energia atómica, utilizada para finalidades bélicas, semeou morte em proporções inauditas.

Na verdade, poder-se-iam encontrar muitos exemplos, menos graves e no entanto igualmente sintomáticos, na realidade de todos os dias. A Sagrada Escritura revela-nos que a energia capaz de mover o mundo não é uma força anónima e cega, mas a acção do “espírito de Deus que se movia sobre a superfície das águas” (Gn 1, 2) no início da criação. E Jesus Cristo “trouxe à terra” não a força vital, que já habitava nela, mas o Espírito Santo, ou seja, o amor de Deus que “renova a face da terra”, purificando-a do mal e libertando-a do domínio da morte (cf. Sl 103 [104], 29-30). Este “fogo” puro, essencial e pessoal, o fogo do amor, desceu sobre os Apóstolos, reunidos em oração com Maria no Cenáculo, para fazer da Igreja o prolongamento da obra renovadora de Cristo.

Finalmente, ainda se tira um último pensamento da narração dos Actos dos Apóstolos: o Espírito Santo vence o medo. Sabemos como os discípulos se tinham refugiado no Cenáculo depois do aprisionamento do seu Mestre e aí permaneceram segregados com o temor de padecer a mesma sorte. Depois da ressurreição de Jesus, este seu medo não desapareceu repentinamente. Mas eis que no Pentecostes, quando o Espírito Santo pairou sobre eles, os homens saíram sem temor e começaram a anunciar a todos a boa notícia de Cristo crucificado e ressuscitado. Não tinham medo algum, porque se sentiam nas mãos do mais forte. Sim, queridos irmãos e irmãs, onde entra, o Espírito de Deus afasta o medo; faz-nos conhecer e sentir que estamos nas mãos de uma Omnipotência de amor:  independentemente do que acontece, o seu amor infinito não nos abandona. Demonstram-no o testemunho dos mártires, a coragem dos confessores da fé, o impulso intrépido dos missionários, a sinceridade dos pregadores e o exemplo dos missionários, alguns dos quais são inclusive adolescentes e crianças. Demonstra-o a própria existência da Igreja que, não obstante os limites e as culpas dos homens, continua a atravessar o oceano da história, impelida pelo sopro do Espírito e animada pelo seu fogo purificador. Com esta fé e esta esperança jubilosa repitamos no dia de hoje, por intercessão de Maria:  “Enviai o vosso Espírito, Senhor, para renovar a face da terra!”.

© Copyright 2009 – Libreria Editrice Vaticana

Pentecostes.

pentecoste051

.

pentecoste021

.

pentecoste031

.

O que dizem os Papas sobre a RCC ?

QUE DEUS TE ABENÇOE E TE

GUARDE, DERRAME SOBRE TI TODA

SUA GRAÇA E MISERICÓRDIA

CURANDO-TE E TRANFORMANDO-TE

EM UMA NOVA CRIATURA.

http://saopio.files.wordpress.com/2008/03/image003.jpg

Bento XVI Fala sobre a RCC.

Caríssimos Irmãos e Irmãs!

«Subitamente ressoou, vindo do céu, um som comparável ao de forte rajada de vento, que encheu toda a casa onde se encontravam. Viram, então, aparecer umas línguas à maneira de fogo, que se iam dividindo, e pousou uma sobre cada um deles. Todos ficaram cheios de Espírito Santo» (At 2, 2-3).

3. Em Jerusalém, há quase dois mil anos, no dia de Pentecostes, diante de uma multidão estupefata e zombeteira por causa da inexplicável mudança notada nos Apóstolos, Pedro proclama com coragem: «Jesus de Nazaré, Homem acreditado por Deus junto de vós… a Este matastes, cravando-O na cruz pela mão de gente perversa. Mas Deus ressuscitou-O» (At 2, 22-24). Nas palavras de Pedro manifesta-se a autoconsciência da Igreja, fundada sobre a certeza de que Jesus Cristo está vivo, atua no presente e transforma a vida.

O Espírito Santo, já operante na criação do mundo e na Antiga Aliança, revela-Se na Encarnação e na Páscoa do Filho de Deus, e como que «explode» no Pentecostes para prolongar, no tempo e no espaço, a missão de Cristo Senhor. O Espírito constitui assim a Igreja como fluxo de vida nova, que circula dentro da história dos homens.

9. Jesus disse: «Vim lançar fogo sobre a terra; e que quero Eu senão que ele já se tenha ateado?» (Lc 12, 49); enquanto a Igreja se prepara para cruzar o limiar do terceiro milênio, acolhamos o convite do Senhor, para que o Seu fogo se propague no nosso coração e no dos irmãos.

Hoje, deste cenáculo da Praça de São Pedro, eleva-se uma grande oração: Vinde Espírito Santo, vinde e renovai a face da terra! Vinde com os vossos sete dons! Vinde Espírito de vida, Espírito de verdade, Espírito de comunhão e de amor! A Igreja e o mundo têm necessidade de Vós. Vinde Espírito Santo e tornai sempre mais fecundos os carismas que concedeis. Dai nova força e impulso missionário a estes vossos filhos e filhas aqui reunidos. Dilatai o coração deles, reavivai o seu empenho cristão no mundo. Tornai-os corajosos mensageiros do Evangelho, testemunhas de Jesus Cristo ressuscitado, Redentor e Salvador do homem. Fortalecei o seu amor e a sua fidelidade à Igreja.

Fonte: RCC Brasil.

.


Jesus Jesus



.

Orações ao Espírito Santo.

.

Oração ao Divino

Espírito Santo

.

(Cardeal Verdier)

.

Ó Espírito Santo, amor do Pai e do Filho!

Inspirai-me sempre aquilo que devo pensar,

aquilo que devo dizer,

como eu devo dizê-lo,

aquilo que devo calar,

aquilo que devo escrever,

como eu devo agir,

aquilo que devo fazer, para procurar

a Vossa glória, o bem das almas e minha própria santificação.

Ó Jesus, toda a minha confiança está em Vós.

Ó Maria, Templo do Espírito Santo, ensinai-nos a sermos fiéis àquele que habita em nosso coração.

 


pombinha[1]

Súplica

Ao Espírito Santo

Devoções

.

Vinde, Espírito Santo, terníssimo Consolador. Minha alma suspira por Vós, meu coração tem sede de Vós. Só Vós podeis saciar os meus anseios, só Vós podeis fazer-me feliz. Divino Esposo, não rejeiteis a morada de meu pobre coração. Sim,V. Meu coração é impuro,


R. Mas podeis purificá-lo.

V. Meu coração é tenebroso,

R. Mas podeis iluminá-lo.

V. Meu coração é mau,

R. Mas podeis saciá-lo de amor.

V. Meu coração é triste,

R. Mas podeis consolá-lo.

V. Meu coração é fraco,

R. Mas podeis fortalecê-lo.

V. Meu coração é frio,

R. Mas podeis abrasá-lo.

V. Meu coração é terreno,

R. Mas podeis enchê-lo de desejos celestiais.

V. Meu coração é pecador,

R. Mas podeis orná-lo de todas as virtudes.

V. Meu coração é inconstante,

R. Mas podeis torná-lo perseverante.

Vinde, pois, ó Espírito Santo, Pai dos pobres, vinde, inundai-me de Vosso amor!Devoções


Oração ao Espírito Santo

Vinde Espírito Santo e mandai lá do céu um raio de vossa luz!

Vinde Pai dos pobres,distribuidor dos bens !

Vinde oh luz dos corações, doce hóspede e suave alegria das almas!

Vinde consolador ótimo ,consolar os aflitos !

Vinde aliviar os trabalhos,temperar os ardores ,enxugar as lágrimas !

Oh luz beatíssima,inflamai o íntimo dos corações de vossos fiéis!

Sem a vossa graça, nada há no homem, que possa ser inocente !

Lavai pois o que é sórdido,regai o que é seco,sarai o que está enfermo !

Abrandai o que é duro,abrasai o que é frio ,reconduzi o desviado !

Concedei aos vossos servos,que em vós confiam o setenário de vossos dons !

Dai-lhes o mérito das virtudes,o dom da graça final e o glorioso prêmio do prazeres eternos .

Amém!


Quero ser Batizado no Espírito Santo?

Ele Vos Batizará com Fogo e no Espírito Santo!

INVOCAÇÃO DO ESPÍRITO SANTO

Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor. Enviai o vosso Espírito e tudo será criado e renovareis a face da terra.

Oremos : Ó DEUS, que instruístes os corações dos vossos fiéis com a luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas segundo o mesmo Espírito e gozemos sempre de sua consolação. Por CRISTO, Senhor nosso. Amém!


Novena do Espírito Santo.

//mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/pentecostes-ico.jpg” contém erros e não pode ser exibida.
http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/dons-do-espirito.jpg
http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/frutos-do-espirito.jpg

Oração para pedir

Os Dons do Espírito Santo

Senhor, enviai Vosso Espírito

e tudo será criado

e renovareis a Face da Terra!

Senhor, que perscrutais todos os corações e conheceis todos os problemas, Espírito de Luz e de Amor, derramai sobre mim, eu vos suplico, a plenitude de vossos Dons.

Dai-me o Espírito de Sabedoria, que me faz ver as coisas, não de acordo com o julgamento deste mundo, mas de acordo com o Vosso.

Ó Senhor, que eu possa repetir, como Salomão: “Desde a minha infância eu amei a Sabedoria e a escolhi para minha companheira na vida.

Eu a preferi acima de tudo

o que é mais esplêndido no mundo,

e pensei que as riquezas

nada eram comparadas

com o preço de tamanha jóia.

Todas as coisas boas vieram

por intermédio dela,

e em todas as minhas dores e sofrimentos,

ela sempre foi o meu consolo

e a minha alegria”. (Prov. 8).

Dai-me também o Espírito de Inteligência, que me ilumina no conhecimento das Escrituras e das grandes Verdades Eternas.

A Fé e a Humildade são as virtudes que atraem o Espírito de Inteligência para a alma.

A Fé que nos submete para melhor compreendermos; a Humildade prontamente nos faz reconhecer nossa ignorância.

Dai-me o Espírito de Conselho, que ilumina o caminho para os Céus e evita que me perca como um viajante tolo que pega um caminho desconhecido sem um guia.

Dai-me o Espírito de Ciência, que me ensina que a ciência da Salvação é a única necessária, a única sem a qual nenhuma ciência humana se pode realizar.

Dai-me o Espírito de Força, que não me deixa tão fraco após o mínimo esforço, tão débil quando tenho que obedecer ao invés de fazer o que desejo, ou trabalhar quando não tenho o menor desejo de fazê-lo, que me dá força para conquistar a mim mesmo quando a Lei de Deus assim me ordena!

Dai-me o Espírito de Piedade, que dá ao meu coração uma atração filial para com o Pai e que me faz servi-lo com alegria e tranquilidade!

Dai-me o Espírito de Temor, temor filial que, combinado com o respeito e o amor, me faz evitar cuidadosamente tudo aquilo que possa desagradar a Deus, nosso Pai!

Ó Dons Preciosos, cuja excelência aprendi a conhecer, vede como minha alma clama por Vós com confiança e se Vos abre com Amor.

Santos Apóstolos, que no Dia de Pentecostes recebestes os Dons do Espírito Santo, concedei-nos, com algumas das mesmas graças, uma fidelidade similar à que era vossa, de modo que, acreditando naquilo que recebestes e transmitistes, praticando os vossos trabalhos, vivendo e morrendo com a Igreja que vós fundastes, possamos compartilhar convosco,

Ó Santos Apóstolos, a regozijadora recompensa dos Céus!

Que assim seja!

 



ORAÇÃO PARA PEDIR

OS FRUTOS DO ESPÍRITO

Senhor, recebemos de vossas mãos as sementes da liberdade, da justiça, do amor e da paz.

Fazei de nós semeadores da boa semente.

Que o vosso Espírito nos conduza nesta missão de semear fraternidade e promover a vida.

Livrai-nos das ervas daninhas do egoísmo, da injustiça e de todo mal.

Quando ela cresce entre nós dá frutos amargos de “fornicação, impureza libertinagem, idolatria, superstição, inimizades, brigas, ciúmes, ódio, ambição, discórdias, partidos, invejas, vícios, orgias e outras coisas semelhantes”.

Livrai-nos destes frutos de morte!

Que a vossa boa semente, regada pela Água Viva do vosso Espírito, dê abundantes frutos de vida.

Dai-nos, Senhor, os doces frutos do Espírito Santo:

“caridade, alegria, paz, paciência, afabilidade, bondade, fidelidade, brandura e temperança”.

Que o Dom do Amor, derramado em nossos corações, possa frutificar cada vez mais a fim de saciar quem tem fome e sede de justiça.

Mas que nossos frutos de solidariedade e de promoção humana possam saciar também tantos irmãos e irmãs famintos de pão, de saúde, de emprego e de escola.

Senhor, presente no supremo fruto da Eucaristia, fazei de nós hóstias vivas para alimentar vosso povo faminto de pão e de esperança.

Enviai o vosso Espírito, doador de todos os dons, e dai-nos os vossos frutos de Amor. Amém.

Pe. Joãozinho, scj – Oração inspirada em Gálatas 5,13-26


ORAÇÃO PARA PEDIR

OS DONS DO ESPÍRITO SANTO

Vinde Espírito Santo

E dai-nos o Dom da Sabedoria

Para que possamos avaliar todas as coisas à luz do Evangelho

E ler nos acontecimentos da vida os projetos de amor do Pai

Dai-nos o Entendimento

Uma compreensão mais profunda da verdade

A fim de anunciar a salvação com maior firmeza e convicção

Dai-nos o Dom do Conselho

Que ilumina a nossa vida

E orientai a nossa ação segundo vossa Divina Providência

Dai-nos o Dom da Fortaleza

Sustentai-nos no meio de tantas dificuldades

Com vossa coragem para que possamos anunciar o Evangelho

Dai-nos o Dom da Ciência

Para distinguir o Único Necessário

Das coisas meramente importantes

Dai-nos Piedade

Para reanimar sempre mais nossa íntima comunhão convosco

E, finalmente, dai-nos vosso santo Temor

Para que, conscientes de nossas fragilidades,

Reconhecermos a força da vossa graça.

Vinde Espírito Santo

E dai-nos um novo coração. Amém.

Pe. Joãozinho – Oração inspirada na Carta de João Paulo II aos sacerdotes do mundo inteiro por ocasião da quinta-feira santa de 1998.


RCC ANÁPOLIS
http://presentepravoce.files.wordpress.com/2008/05/terco.jpg?w=130&h=120
http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/paixao-de-jesus.jpg?w=130&h=120
http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/eucaristia.jpg?w=130&h=120




 



Oração ao Espírito Santo


Ó Espírito Santo, Espírito divino de luz e de amor, eu Vos consagro a minha inteligência, o meu coração, a minha vontade, todo o meu ser, no tempo e na eternidade.

Seja a minha inteligência sempre dócil às celestes inspirações e à doutrina da Santa Igreja Católica, da qual sois infalível guia; seja o meu coração sempre inflamado de amor por Deus e pelo próximo; seja a minha vontade sempre conforme com a vontade divina, e toda a minha vida uma fiel imitação da vida e das virtudes de Jesus Cristo Nosso Senhor e Salvador, ao qual com o Pai e convosco seja dada honra e glória para sempre.

Assim seja.

Ó Espírito Santo, eu Vos adoro.

Esclarecei‑me, guiai‑me, fortificai‑me, consolai‑me, dizei‑me o que devo pensar, dizer, fazer e dai‑me as Vossas ordens; prometo submeter‑me a tudo que desejardes de mim e aceitar tudo que permitirdes que me aconteça, fazei‑me unicamente conhecer a Vossa vontade santíssima e concedei‑me a graça de a cumprir fielmente.

Espírito Santo, sede o princípio de todas as operações da minha alma, para que sejam sempre conformes ao Vosso Divino Beneplácito!



Eliana Ribeiro

Vem Espírito Santo






Na Língua dos Anjos




Encontrão de Pentecostes em Anápolis.


Dia 08 de Junho de 2014

“Se alguém tiver sede, venha a mim e beba.

Quem crê em mim, como diz a Escritura:

Do seu interior manarão rios de água viva”

Jo 7, 37b-38,


PENTECOSTES EM ANÁPOLIS – GOIÁS


A Renovação Carismática Católica

da Diocese de Anápolis Goiás

Convida a todos para participarem do

Grande encontro de Pentecostes

Que acontecerá neste próximo dia

.

08/06/2014

.

A partir das 7:30 Hs da Manhã

No centro de Evangelização João Paulo II

Sede da RCC – Anápolis

Anápolis – Goiás

.

Entrada Franca

Haverá Almoço disponível no local

Por apenas R$ 7,00

.

Encerramento com A Santa Missa no local.

MAPA NO GOOGLE


Dia 19 de Maio de 2013

“Se alguém tiver sede, venha a mim e beba.

Quem crê em mim, como diz a Escritura:

Do seu interior manarão rios de água viva”

Jo 7, 37b-38,


.


A Renovação Carismática Católica

da Diocese de Anápolis Goiás

Convida a todos

Para participarem do

Grande encontro de Pentecostes

Que acontecerá neste próximo dia

.

19/05/2013

.

A partir das 7:30 Hs da Manhã

Na quadra do Colégio Auxilium

Entrada pela Rua Quintino Bocaiuca

No Centro

Anápolis – Goiás

.

Entrada Franca

Haverá Almoço disponível no local

Por apenas R$ 5,00

.

Encerramento com A Santa Missa no local.

MAPA NO GOOGLE


ENCONTROS REALIZADOS NOS ANOS ANTERIORES


Dia 12 de Junho de 2011

“Se alguém tiver sede, venha a mim e beba.

Quem crê em mim, como diz a Escritura:

Do seu interior manarão rios de água viva”

Jo 7, 37b-38,


.


A Renovação Carismática Católica

da Diocese de Anápolis Goiás

Convida a todos

Para participarem do

Grande encontro de Pentecostes

Que acontecerá neste próximo dia

.

12/06/2011

.

A partir das 7:30 Hs da Manhã

No Rincão da RCC

Centro de Evangelização João Paulo II

Rua N, Nº 10 – Bairro São Joaquim

Anápolis – Goiás

.

Entrada Franca

Haverá Almoço disponível no local

Por apenas R$ 5,00

.

Encerramento com A Santa Missa no local


.


Em 2010:

Chegando o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar.

De repente, veio do céu um ruído, como se soprasse um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam sentados.

A Renovação Carismática Católica

da Diocese de Anápolis Goiás

Convida a todos

Para participarem do

Grande encontro de Pentecostes

Que acontecerá neste próximo dia

.

23/05/2010

.

A partir das 7:30 Hs da Manhã

No Rincão da RCC

Centro de Evangelização João Paulo II

Rua N, Nº 10 bairro São Joaquim

Anápolis – Goiás

.

Entrada Franca

Haverá Almoço disponível no local

Por apenas R$ 5,00

.

Encerramento com

A Santa Missa no local

.

Em 2009:

enc_pentecostes_rcc_lk

.

Acontecerá nos últimos dias

É Deus quem fala:

.

“DERRAMAREI DO

MEU ESPÍRITO

SOBRE TODO SER VIVO”

Atos 2, 17

.

A Renovação Carismática Católica

da Diocese de Anápolis Goiás

Convida a todos

Para participarem do

Grande encontro de Pentecostes

Que acontecerá neste próximo dia

.

31/05/2009

.

A partir das 8:00 Hs da Manhã

No Rincão da

Comunidade Católica Nova Aliança

.

Entrada Franca

Encerramento com

A Santa Missa no local

.

Presenças de:

Roberto Ricardo

Coordenador RCC Estadual

Padre Jose do Prado e

Padre Cristiano (Santa Clara)

.

Estará acontecendo um Tríduo

Em preparação para o encontro:

. 1º dia – 28/05 – quinta-feira

Comunidade Lançai Redes

.

2º dia – 29/05 – sexta-feira

Comunidade Naiot

.

3º dia – 30/05 – sábado

Comunidade Nossa Senhora das GraçasHorário : 19h30 – 22h00

.

Contamos com sua Presença

.


Seminário de Vida no Espirito
Dons
INVOCANDO O ESPÍRITO SANTO

Temas para SVE I.

Palestras para Seminário de Vida no Espírito.

Em video ou texto.

Em Construção:

Disponível

Amor de Deus

Salvação


Seminário de Vida no Espirito

SVE – I –  Seminário de

Vida no Espírito

Preparação – Dercides



Amor de Deus

SVE I – Video.



O Pecado

SVE I – Video & Texto.



Salvação

SVE I – Video.


Jesus é Rei e Senhor

O Senhorio de Jesus

SVE I – Video & Texto.



O Espírito Santo

SVE I – Video e texto


Viver no Espírito

Vida no Espírito

SVE I – Video & Texto


Porque se diz Nova

E eterna Aliança?


http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/dons-do-espirito.jpg?w=100&h=93

O que é a

Promessa do Pai ?

.

.