Domingo de Ramos.




Quantas lições nos deixam essa festa litúrgica!


Domingo_de_Ramos



A Semana Santa começa no Domingo de Ramos, porque celebra a entrada de Jesus em Jerusalém montado em um jumentinho – o símbolo da humildade – e aclamado pelo povo simples, que O aplaudia como “Aquele que vem em nome do Senhor”. Esse povo tinha visto Jesus ressuscitar Lázaro de Betânia havia poucos dias e estava maravilhado. Ele tinha a certeza de que este era o Messias anunciado pelos profetas; mas esse mesmo povo tinha se enganado no tipo de Messias que Cristo era. Pensavam que fosse um Messias político, libertador social que fosse arrancar Israel das garras de Roma e devolver-lhe o apogeu dos tempos de Salomão.
Para deixar claro a este povo que Ele não era um Messias temporal e político, um libertador efêmero, mas o grande Libertador do pecado, a raiz de todos os males, então, o Senhor entra na grande cidade, a Jerusalém dos patriarcas e dos reis sagrados, montado em um jumentinho; expressão da pequenez terrena. Ele não é um Rei deste mundo! Dessa forma, o Domingo de Ramos dá o início à Semana Santa, que mistura os gritos de hosanas com os clamores da Paixão de Cristo. O povo acolheu Jesus abanando seus ramos de oliveiras e palmeiras.
Esses ramos significam a vitória: “Hosana ao Filho de Davi: bendito seja o que vem em nome do Senhor, o Rei de Israel; hosana nas alturas”. Os ramos santos nos fazem lembrar que somos batizados, filhos de Deus, membros de Cristo, participantes da Igreja, defensores da fé católica, especialmente nestes tempos difíceis em que esta é desvalorizada e espezinhada. Os ramos sagrados que levamos para nossas casas, após a Missa, lembram-nos de que estamos unidos a Cristo na mesma luta pela salvação do mundo, a luta árdua contra o pecado, um caminho em direção ao Calvário, mas que chegará à Ressurreição para a vida eterna.


Jesus_Domingo_Ramos


Encenação na Paróquia Sagrada Família em Goiânia – 2014.


Domingo de Ramos 4 Domingo de Ramos Domingo de Ramos 3 Domingo de Ramos 5

O Mestre nos ensina com fatos e exemplos que o Seu Reino, de fato, não é deste mundo. Que ele não veio para derrubar César e Pilatos, mas para derrubar um inimigo muito pior e invisível, o pecado. E para isso é preciso se imolar; aceitar a Paixão, passar pela Morte para destruir a morte; perder a Vida para ganhá-la.

A muitos o Senhor decepcionou; pensavam que Ele fosse escorraçar Pilatos e reimplantar o reinado de Davi e Salomão em Israel; mas Ele vem montado em um jumentinho frágil e pobre. “Que Messias é este? Que libertador é este? É um farsante! É um enganador, merece a cruz por nos ter iludido”, pensaram. Talvez Judas tenha sido o grande decepcionado.
O Domingo de Ramos ensina-nos que a luta de Cristo e da Igreja, e consequentemente a nossa também, é a luta contra o pecado, a desobediência à Lei sagrada de Deus que hoje é calcada aos pés até mesmo por muitos cristãos que preferem viver um cristianismo “light”, adaptado aos seus gostos e interesses e segundo as suas conveniências. Impera como disse Bento XVI, a ditadura do relativismo.

O Domingo de Ramos nos ensina que seguir o Cristo é renunciar a nós mesmos, morrer na terra como o grão de trigo para poder dar fruto, enfrentar os dissabores e ofensas por causa do Evangelho do Senhor. Estar disposto a carregar a cruz com aquele que a levou até o Calvário sem abandoná-la. Estar disposta a defender o Cristo e a Igreja com novo ardor, e com novo ânimo, especialmente hoje em eles são tão aviltados em todo mundo.

Prof. Felipe Aquino

Felipe Aquino

Prof. Felipe Aquino, casado, 5 filhos, doutor em Física pela UNESP. É membro do Conselho Diretor da Fundação João Paulo II. Participa de aprofundamentos no país e no exterior, escreveu mais de 60 livros e apresenta dois programas semanais na TV Canção Nova: “Escola da Fé” e “Trocando Idéias”. Saiba mais em Blog do Professor Felipe Site do autor: www.cleofas.com.br



Semana Santa Jesus

DOMINGO DE RAMOS


Epifania do Senhor Jesus.


DIADEREIS[1]


Os Três Reis Magos


Reis_Magos_031

Dia dos Reis Magos


Segundo a tradição, os Reis Magos eram três: Gaspar, cujo nome significa “Aquele que vai inspecionar”; Melquior, que quer dizer; “Meu Rei é Luz”; e Baltazar, que se traduz por “Deus manifesta o Rei”. Tudo indica que os Magos eram sábios procedentes da Babilônia. A referência “a visita dos Magos” encontra-se assim descrita em Mateus:

“Tendo Jesus nascido em Belém da Judeia, no tempo do rei Herodes, eis que vieram magos do Oriente a Jerusalém, perguntando: “Onde está o Rei dos judeus recém-nascido? Com efeito, vimos a sua estrela no céu surgir e viemos homenageá-lo”. (Mt 2,1-3ss.; cf. Lc 2,1-7).”

A intenção do evangelista é mostrar que os pagãos, os gentios, os povos que viviam além das fronteiras de Israel, reconhecem Jesus como Rei-Messias. Ao passo que o povo judeu rejeita o Salvador nascido em seu seio.

Outro incenso e mirra simbolizam as riquezas e os perfumes da Arábia, oferecidos como tributo ao Rei dos Reis, Jesus. Os Padres da Igreja vêem no outro o símbolo da realeza de Jesus; no incenso, a sua divindade; e na mirra, a paixão de Cristo.

Na adoração dos Magos cumprem-se as profecias messiânicas: Eu vejo – mas não agora, eu contemplo – mas não de perto: um astro procedente de Jacó se torna chefe, um cetro se levanta, procedente de Israel. (Ns 24, 17ss.; cf. também Isaías 49,23; 60, 5s.; Salmo 72, 10-15).


Dos Reyes Magos por Mr.Frankie.

A origem da Comemoração do Dia de Reis leva-os há muito tempo atrás. Segundo a primitiva liturgia, no dia 6 de Janeiro celebrava-se a comemoração do Natal, da Epifania ou manifestação de Deus, o Baptismo de Jesus e o milagre das Bodas de Canaã. Só a partir do séc. V é que a adoração dos Reis Magos começou a ser celebrada no Ocidente. Foi também nessa altura que se decidiu separar a Epifania do Natal, que passou para o dia 25 de Dezembro.

No início, os Reis Magos eram representados quase sempre por dois, quatro ou seis personagens e unicamente como magos. O número três só ficou estabelecido a partir do séc. IV. Os nomes pelos quais hoje são conhecidos surgiram apenas um século depois e até o século VI não se encontram registos do título de reis. No séc. XVI foi introduzido o traço racial, aparecendo pela primeira vez um Baltazar preto. Os três reis foram identificados como Sem, Cam e Jafé, os três filhos de Noé, que segundo o Antigo Testamento, representavam as três raças que povoavam o mundo. Desta forma, Melchior, o ancião de cabelos brancos, simboliza os herdeiros de Jafé, os europeus que oferecem ao Menino Jesus um presente de ouro que testemunha sua realeza. O louro e jovem Gaspar representa os semitas da Ásia, cujo bem mais apreciado é o incenso, símbolo da sua divindade, e Baltazar, negro e com barba, identifica-se com os filhos de Cam, os africanos, que entregam a mirra, em alusão à paixão e ressurreição.



A Bíblia relata como uma estrela guiou os três Reis Magos desde o Oriente e indicou o lugar onde se encontrava o Menino Jesus ao deter-se sobre o presépio. Muitas são as teorias que tentam explicar este milagre. Entre elas, está a de que se tratava do brilhante planeta Vénus, da passagem dos cometas Halley ou Hale-Bopp, de uma supernova, uma ocultação da Lua… Uma das hipóteses mais aceites foi a proposta por Johannes Kleper em 1606. Segundo este astrônomo, tratar-se-ia de uma rara tripla conjugação da Terra com os planetas Júpiter e Saturno, passando o Sol nesse momento por Peixes. Esta conjugação apresenta-se aos olhos do observador terrestre como uma só estrela muito brilhante. Outra hipótese mais recente é a de que se tratava de uma nova estrela brilhante observada próxima da estrela Theta Aquilae. A estrela de Belém é relembrada situando-a tanto na representação do presépio como na ponta da árvore de Natal.


PRESENTEPRAVOCE http://presentepravoce.files.wordpress.com/2008/12/sag-fam-lk.jpg?w=130&h=120&h=120

EPIFANIA



Jesus Jesus

A Santíssima Trindade.


Celebração do Domingo da Santíssima Trindade


.

Conta-se que Santo Agostinho andava certo dia a passear na praia a meditar sobre este mistério da Santíssima Trindade: um Deus em três pessoas distintas… Enquanto caminhava, observou um menino que carregava um pequeníssimo balde com água. A criança ia até o mar, trazia a água e deitava-a dentro de um pequeno buraco que havia feito. Após ver repetidas vezes o menino fazer a mesma coisa, resolveu interrogá-lo sobre o que pretendia. O menino, olhando-o, respondeu com simplicidade: -“quero colocar a água do mar neste buraco”. Santo Agostinho sorriu e respondeu-lhe: -“mas tu não percebes que isso é impossível mesmo que trabalhes toda a vida? O mar é infinitamente grande. Jamais o irás conseguir colocar aí todo dentro desse pequeno buraco…”.

Então, novamente olhando para Santo Agostinho, o menino respondeu-lhe: “ora, é mais fácil a água do mar caber nesse pequeno buraco do que o mistério da Santíssima Trindade ser entendido por um homem!”. É mais fácil colocar toda a água do mar aqui dentro deste buraco que o homem conseguir entender o mistério da Santíssima Trindade. O homem é infinitamente pequeno e Deus é infinitamente grande!

.

Há 15 dias atrás celebramos a festa da glorificação do Filho (a 2ª Pessoa) – Ascensão de Jesus ao Céu;

Há 08 dias celebramos a festa da descida do Espírito Santo (a festa da 3ª Pessoa) – Pentecostes;

E hoje celebramos o Domingo da Santíssima Trindade – Queremos hoje contemplar a Deus como uno na diversidade de três pessoas. – O Pai, o Filho e o Espírito Santo.

Esta festa não é essencialmente um convite a decifrar ou interpretar o “mistério” que se esconde por detrás de “um Deus em três pessoas”, mas deverá ser uma oportunidade para contemplar o nosso Deus, que é amor, que é família, que é comunidade e que criou os homens para os fazer comungar nesse mistério de amor que é ELE próprio.
Não é fácil falar de Deus… pela grandeza que Ele tem e pela nossa pequenez! Deus permanecerá sempre como mistério impossível para nós de abarcar, interpretar na totalidade!

Jamais poderemos interpretar toda a densidade e profundidade deste mistério que é Deus uno e trino; no entanto, podemos e deveremos, procurar crescer no seu conhecimento. Só conheceremos e entenderemos Deus na medida em que pessoalmente o quisermos levar para o nosso dia a dia.

Para termos acesso a essa intimidade com Deus temos como auxílio especial a Sagrada Escritura que nos revela quem é Deus em Jesus Cristo, hoje presente no Espírito Santo.

Celebrar a Santíssima Trindade é muito mais que querer entender um Deus uno que vive e se manifesta em três pessoas. Celebrar a Santíssima Trindade é querer descobrir que o nosso Deus é uma comunhão de amor.

Permiti-me que partilhe uma das histórias de Santo Agostinho.
Conta-se que Santo Agostinho andava certo dia a passear na praia a meditar sobre este mistério da Santíssima Trindade: um Deus em três pessoas distintas… Enquanto caminhava, observou um menino que carregava um pequeníssimo balde com água. A criança ia até o mar, trazia a água e deitava-a dentro de um pequeno buraco que havia feito. Após ver repetidas vezes o menino fazer a mesma coisa, resolveu interrogá-lo sobre o que pretendia. O menino, olhando-o, respondeu com simplicidade: -“quero colocar a água do mar neste buraco”. Santo Agostinho sorriu e respondeu-lhe: -“mas tu não percebes que isso é impossível mesmo que trabalhes toda a vida? O mar é infinitamente grande. Jamais o irás conseguir colocar aí todo dentro desse pequeno buraco…”.

Então, novamente olhando para Santo Agostinho, o menino respondeu-lhe: “ora, é mais fácil a água do mar caber nesse pequeno buraco do que o mistério da Santíssima Trindade ser entendido por um homem!”. É mais fácil colocar toda a água do mar aqui dentro deste buraco que o homem conseguir entender o mistério da Santíssima Trindade. O homem é infinitamente pequeno e Deus é infinitamente grande!

È uma “históriazinha” cheia de verdade. Só poderíamos compreender perfeitamente a Santíssima Trindade se nós próprios fossemos ‘deuses’.

Queremos ser “deuses” e queremos limitar Deus às nossas capacidades intelectuais. Queremos que ele “caiba” dentro da nossa capacidade de raciocínio… IMPOSSIVEL! Deus é infinitamente maior.

Podemos, contudo, por meio da razão iluminada pela fé, chegar a um conhecimento ainda que limitado.

O conhecimento que podemos ter terá de ser feito tendo por base comparações, que são sempre, por natureza imensamente limitadas e às vezes até infelizes.

A Santíssima Trindade é como o fogo que queima, que ilumina e que aquece, sendo apenas fogo. É sempre apenas uma coisa – fogo – mas manifesta-se de diversas formas… assim Deus também… é sempre Deus – mas manifesta-se como Pai Criador, como Filho Redentor/Salvador, como Espírito Santo, auxiliador!

.

A Santíssima Trindade é superior à capacidade humana de entendimento, mas não contraria a razão. Dizer que existe “um Deus em três pessoas” faz sentido… já dizer que “há um Deus em três

deuses!” não faz sentido e contraria a razão humana.

Deus revela-se na Trindade como um mistério de amor e porque vive numa comunhão de amor quer amar-nos sempre e quer introduzir-nos na sua família.

Em nós está o Pai, que nos chamou do nada, que insuflou o seu sopro de vida e nos chama a realizar a nossa vocação pessoal de Filhos de Deus.

Em nós está o Filho, que entregou a sua vida por nós.

Em nós está o Espírito Santo que constantemente nos ilumina e nos chama a caminhar ao encontro do Deus amor.

Nós fazemos parte da Santíssima Trindade – podemos de alguma forma dizer que nós somos a 4ª pessoa da Trindade Divina.“PELO MENOS É A PROPOSTA QUE JESUS NOS FAZ em São João Cap. 17”, Deus vive em comunhão de amor para nos convidar a amar! Se vivermos para amar fazemos parte da família de Deus – vivemos em Deus.

Adoremos – a Santíssima Trindade e o amor infinito que esta tem por cada um de nós.

Amemos – a Trindade que primeiro nos amou e constantemente permanece em nós.

Imitemos – a Trindade e vivamos para amar e em comunhão com todos.

Sejamos reflexos da Trindade, isto é, sejamos sinais de comunhão, de partilha, de esperança para este mundo tão dividido, individualista e sem esperança.


Jesus é Misericordioso



(:
wow…obi
agree
gold.
Aweesome~ *anga hulhuvifa! oO! dheloves!
love the green

Washed and buried por azleem.

Encontro Nacional de Formação – RCC.



ENF – 2013

Esta é a vitória que vence o mundo:

A nossa fé

(I Jo 5,4b).




O que é o encontro


Ter, 25 de Setembro de 2012 14:04 | PDF  | | Imprimir |



O Encontro Nacional de Formação para Coordenadores e Ministérios é marcado por momentos de profunda oração, formação geral e específica e escuta profética. Outro aspecto muito importante é a partilha: dos projetos e serviços em andamento no Movimento, das Moções Proféticas que direcionam os trabalhos do Movimento em todas as instâncias .

O ENF se consolida a cada ano entre os líderes da RCC e tem sido um dos eventos que mais fortalecem a unidade entre os membros do Movimento, pois é destinado a coordenadores estaduais, diocesanos, de ministérios, de Grupos de Oração, de equipes e núcleos de serviço. Para a coordenadora da Comissão Nacional de Formação, Rita de Cássia Luís de Sá, “O ENF é um encontro que tem um cunho informativo, formativo e um lugar da unidade. O Grupo de Oração que busca unir-se deve viver um ENF como ponto de partida, ele tem a capacidade de promover uma unidade de toda a RCC do Brasil. É lá onde tudo o que a Renovação Carismática do Brasil vai viver neste ano é partilhado com as lideranças”.

Neles os membros dos Ministérios, se reúnem para receber formação sobre questões específicas de cada serviço, além de vivenciarem momentos de partilha, vivência fraterna e oração.

Em 2013, a moção dada por Deus para a RCC é “Esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé” (I Jo 5,4b). A partir dela, o Movimento buscará vivenciar de forma intensa a proposta do Ano da Fé, proclamado pelo Papa Bento XVI, como comemoração ao 50º aniversário do início do Concílio Vaticano II.

Data: 24 (início às 8h) a 27 de janeiro de 2013 (término às 13h)

Local: Estamos trabalhando para que este evento seja realizado no Centro de Eventos da Sede Nacional da RCCBRASIL, em Canas/SP

Presenças:

– Conselho Nacional da RCCBRASIL

– Comissão Nacional de Formação RCCBRASIL

Programação:

– Momentos de Oração

– Pregações

– Missas

– Partilha de Moções Proféticas

– Apresentações de projetos

Importante:

•    A cidade de Canas não conta com transporte coletivo, nem com pontos de táxi, portanto, lembramos a todos que os participantes do evento deverão contar com transporte próprio, em ônibus de caravanas, vans ou veículos particulares.

•    Mesmo sendo o terreno da Sede Nacional às margens da Via Dutra, esta tratasse de uma via expressa, portanto, ônibus e lotações vindos das cidades vizinhas não param nas proximidades da RCC em Canas.

Mais Informações no Site Oficial da RCC – Brasil

http://www.rccbrasil.org.br/eventos/enf-2013


Semeando a cultura de Pentecostes



“Anos Anteriores”…


ENF – 2011

“Por causa da Tua Palavra”…

Notícia postada dia 04/11/2010 | 14:24:07 – Site RCC – Brasil

Em janeiro próximo, expressiva porção da liderança da  Renovação  Carismática Católica reunir-se-á em Lorena(SP) para mais  uma edição de seu conceituado Encontro Nacional de Formação. E a partir dele – como habitualmente o faz –, o Movimento desencadeia um motivador empenho que busca atingir todas as suas inúmeras instâncias para que considerem – em seus retiros, em seus grupos de oração, em suas festas de “carnaval com Jesus”, seus  simpósios, cenáculos e congressos –, a moção profética concedida por Deus ao seu Conselho Nacional como norteadora, como embasadora, como inspiração para  o modo como devem os membros da RCCBRASIL  pôr em  movimento a sua ação evangelizadora, a partir do carisma que lhe é próprio…

Como tem sido gratificante e edificante constatar a força que essas moções colhidas em escuta profética carregam em seu bojo, provocando iniciativas em tantas  áreas da ação apostólica – entre os jovens, crianças, entre artistas e escritores, entre coordenações e ministeriados, com belíssimas missões internas e externas –, que só se explicam quando referenciadas Àquele que nos foi dado para estar  “conosco e em nós”, capacitando-nos a dar testemunho de Jesus: o Espírito Santo Paráclito! Quanto empenho, quanta comunhão, quanta oração, quanto anúncio (coisas que, segundo João Paulo II (maio de 2004), devem caracterizar a espiritualidade de Pentecostes…

https://i2.wp.com/encontro.rccbrasil.org.br/360x210.jpg

No ano passado, a RCC de todo o Brasil se expressou com clareza e entusiasmo – quer através da música e da dança, peças de teatro e de pregações, de reflexões teológicas e seminários de vida –, que “Jesus Cristo é o Senhor!”. Neste ano que chega a seu termo, entre iniciativas de restauração de práticas espirituais arrefecidas no seio do Movimento, propostas de reconstrução da identidade carismática, deflagração de campanhas pelo início da construção de um Centro de referência nacional para a RCC, o  seu povo reconheceu e se comprometeu  “Unidos pela Palavra, reconstruiremos as muralhas…” e reafirmou o compromisso com anúncio do Evangelho ao assumir a convocação “Proclama a Palavra, anuncia a Boa Notícia”.

Agora, aproximamo-nos de 2011: um ano em que não teremos o nosso tradicional “Congresso Nacional”, mas desfrutaremos de 27 Congressos Estaduais renovados, com um dia a mais na duração, para que as lideranças de cada Estado (equipes de coordenação, servos, núcleos…) interajam com uma Equipe de composição nacional, para assim melhor se preparar para encaminhar os direcionamentos destes novos tempos – tempos de abundância e reconstrução, tempos de primavera eclesial, de florescência carismática, tempos de reorganização interna dos nossos Conselhos de Coordenação… Tempo de se preparar para celebrar – com os jovens do mundo todo! –, o Encontro Mundial de Juventude a ser realizado em parceria com o Escritório Internacional da RCC, aqui na Terra de Santa Cruz… E que moção profética concede o Senhor ao Conselho Nacional para “rhemar” esse ano de 2011?

Uma moção de continuidade, de apreço à Palavra do Senhor, de empenho missionário, de anúncio querigmático sob a luz do senhorio e da autoridade do Cristo, na força do Espírito Santo: “Por causa de tua palavra, lançaremos as redes…”, cf. Lc  5,5.

https://i1.wp.com/encontro.rccbrasil.org.br/392x172.jpg

SENHORIO, RECONSTRUÇÃO E ANÚNCIO NO CARISMA DA RCC. – O núcleo fundamental da pregação de Pedro logo após Pentecostes é esse: “Deus constituiu Jesus Senhor e Cristo. Arrependam-se e creiam” (cf. At 2,36.38; 3, 18-19; 5,31), em harmônica consonância com o cerne da pregação do próprio Jesus nos Evangelhos: “O Reino de Deus está próximo. Arrependam-se e creiam no Evangelho” (Mc 1,15). Ou seja, submetendo-se à direção do mesmo Espírito que impelira Jesus a pregar, o Evangelho pregado pelos apóstolos (cf. At 2,36; 20,38-39) ressalta que Deus constitui Senhor  aquele mesmo Jesus que fora crucificado pelos homens. Os apóstolos logo entendem que anunciar com poder uma tal realidade só seria possível com a força prometida do alto (cf. At 1,7-8; At 5,32). Entendem que era preciso “pregar o Evangelho no Espírito Santo (cf. 1 Pd 1,12). Que o próprio Jesus – primeiro evangelizador – evangelizava “com a força do Espírito…” (cf. Lc 4,14ss), que tornava Sua palavra eficaz… Também o apóstolo Paulo demonstrava essa consciência: “Minha palavra e minha pregação nada tinham da persuasiva linguagem da sabedoria, mas eram uma demonstração do Espírito e poder” (cf 1 Cor 2,4); e, ainda: “O nosso Evangelho vos foi pregado não somente por palavras, mas também com poder, com o Espírito Santo e plena convicção”. (cf. 1 Ts 1,5).

Paulo VI nos ensinava que “as técnicas de evangelização são boas, obviamente; mas, ainda as mais aperfeiçoadas não poderiam substituir a ação discreta do Espírito Santo. A preparação mais apurada do evangelizador nada faz sem ele. De igual modo, a dialética mais convincente, sem ele, permanece impotente em relação ao espírito dos homens. E, ainda, os mais bem elaborados esquemas com base sociológica e psicológica, sem ele, em breve se demonstram desprovidos de valor” (cf. Evangelii Nuntiandi, 75). Ou seja, evangelização com discursos baseados em sabedoria humana, simplesmente (apartados da ação e do poder do Espírito, cf. Paulo VI,  EN 75), obtém dos ouvintes aprovação puramente humana e intelectual, e pode até suscitar doutores especialistas em Sagradas Escrituras e Ciências da Religião, mas não geram necessariamente o “homem novo”, cristãos “justificados”, como é próprio da atuação do Espírito – que dá vida –, e não  da letra – que mata! (cf Jo 6,63).

“Para demolir fortalezas, destruir argumentos e toda pretensão que se levanta contra o conhecimento de Deus e tornar todo pensamento cativo em obediência a Cristo” (cf II Cor 10,4-5), é que somos convocados a lançar agora – como “pescadores de homens” –,  as redes  da Palavra com a força e as armas do Espírito, pois as armas da  “carne” não são suficientes… Queremos aprender, durante todo o novo ano,  a crescer em confiança naquele Único que tem “palavras de vida eterna”(Jo 6,68) por cujas palavras “céus e terras foram criados” (cf. Sl 33,6), palavras que são “espírito e vida” (II Cor 3,6), e por causa de Sua Palavra, lançar as redes onde já  não acreditamos mais ter “peixe”, onde cremos não valer mais a pena labutar, provavelmente por termos trabalhado confiando  apenas  em nossas capacidades pessoais, em nossos recursos meramente humanos, em conhecimentos  baseados não  na incomparável e indisputável autoridade de Deus… Que o Espírito Santo possa nos convencer, neste novo ano,  – de um modo que afete nossas vidas –, a respeito do poder e da autoridade que emanam da Palavra de Jesus Cristo, nosso Senhor…

Reinaldo Bezerra dos Reis

Coordenador estadual RCC/SP

ENF – 2010

Unidos pela Tua Palavra,

Reconstruiremos as muralhas …

Em outubro deste ano, o Conselho Nacional da RCC acolheu a moção profética, que coloca a Palavra de Deus no centro de todas as atividades do Movimento em 2010. O tema geral e do Congresso Nacional, inspirado em II Timóteo 4, 1-5, é: “Proclama a Palavra, anuncia a Boa Notícia!”.

Seguindo essa moção, o ENF tem seu tema específico inspirado no livro de Neemias: “Unidos pela Tua Palavra, reconstruiremos as muralhas…”.

�Unidos pela Tua Palavra, reconstruiremos as muralhas…�

Em outubro deste ano, o Conselho Nacional da RCC acolheu a moção profética, que coloca a Palavra de Deus no centro de todas as atividades do Movimento em 2010. O tema geral e do Congresso Nacional, inspirado em II Timóteo 4, 1-5, é: “Proclama a Palavra, anuncia a Boa Notícia!”.

Seguindo essa moção, o ENF tem seu tema específico inspirado no livro de Neemias: “Unidos pela Tua Palavra, reconstruiremos as muralhas…”.

Esse tema coloca em evidência a importância da unidade para vivermos nossa missão de anunciar o Evangelho. Através da nossa união, centrados na Palavra, poderemos reconstruir as muralhas, porque quando estamos juntos, como irmãos, Deus combate em nosso favor. Para melhor compreensão dessa moção, todos são convidados a ler e estudar o livro de Neemias, principalmente os quatro primeiros capítulos, que trata da reconstrução das muralhas de Jerusalém.

�Unidos pela Tua Palavra, reconstruiremos as muralhas…�

Em outubro deste ano, o Conselho Nacional da RCC acolheu a moção profética, que coloca a Palavra de Deus no centro de todas as atividades do Movimento em 2010. O tema geral e do Congresso Nacional, inspirado em II Timóteo 4, 1-5, é: “Proclama a Palavra, anuncia a Boa Notícia!”.

Seguindo essa moção, o ENF tem seu tema específico inspirado no livro de Neemias: “Unidos pela Tua Palavra, reconstruiremos as muralhas…”.


Semeando a cultura de Pentecostes


.

Orações ao Espírito Santo.

.

Oração ao Divino

Espírito Santo

.

(Cardeal Verdier)

.

Ó Espírito Santo, amor do Pai e do Filho!

Inspirai-me sempre aquilo que devo pensar,

aquilo que devo dizer,

como eu devo dizê-lo,

aquilo que devo calar,

aquilo que devo escrever,

como eu devo agir,

aquilo que devo fazer, para procurar

a Vossa glória, o bem das almas e minha própria santificação.

Ó Jesus, toda a minha confiança está em Vós.

Ó Maria, Templo do Espírito Santo, ensinai-nos a sermos fiéis àquele que habita em nosso coração.

 


pombinha[1]

Súplica

Ao Espírito Santo

Devoções

.

Vinde, Espírito Santo, terníssimo Consolador. Minha alma suspira por Vós, meu coração tem sede de Vós. Só Vós podeis saciar os meus anseios, só Vós podeis fazer-me feliz. Divino Esposo, não rejeiteis a morada de meu pobre coração. Sim,V. Meu coração é impuro,


R. Mas podeis purificá-lo.

V. Meu coração é tenebroso,

R. Mas podeis iluminá-lo.

V. Meu coração é mau,

R. Mas podeis saciá-lo de amor.

V. Meu coração é triste,

R. Mas podeis consolá-lo.

V. Meu coração é fraco,

R. Mas podeis fortalecê-lo.

V. Meu coração é frio,

R. Mas podeis abrasá-lo.

V. Meu coração é terreno,

R. Mas podeis enchê-lo de desejos celestiais.

V. Meu coração é pecador,

R. Mas podeis orná-lo de todas as virtudes.

V. Meu coração é inconstante,

R. Mas podeis torná-lo perseverante.

Vinde, pois, ó Espírito Santo, Pai dos pobres, vinde, inundai-me de Vosso amor!Devoções


Oração ao Espírito Santo

Vinde Espírito Santo e mandai lá do céu um raio de vossa luz!

Vinde Pai dos pobres,distribuidor dos bens !

Vinde oh luz dos corações, doce hóspede e suave alegria das almas!

Vinde consolador ótimo ,consolar os aflitos !

Vinde aliviar os trabalhos,temperar os ardores ,enxugar as lágrimas !

Oh luz beatíssima,inflamai o íntimo dos corações de vossos fiéis!

Sem a vossa graça, nada há no homem, que possa ser inocente !

Lavai pois o que é sórdido,regai o que é seco,sarai o que está enfermo !

Abrandai o que é duro,abrasai o que é frio ,reconduzi o desviado !

Concedei aos vossos servos,que em vós confiam o setenário de vossos dons !

Dai-lhes o mérito das virtudes,o dom da graça final e o glorioso prêmio do prazeres eternos .

Amém!


Quero ser Batizado no Espírito Santo?

Ele Vos Batizará com Fogo e no Espírito Santo!

INVOCAÇÃO DO ESPÍRITO SANTO

Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor. Enviai o vosso Espírito e tudo será criado e renovareis a face da terra.

Oremos : Ó DEUS, que instruístes os corações dos vossos fiéis com a luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas segundo o mesmo Espírito e gozemos sempre de sua consolação. Por CRISTO, Senhor nosso. Amém!


Novena do Espírito Santo.

//mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/pentecostes-ico.jpg” contém erros e não pode ser exibida.
http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/dons-do-espirito.jpg
http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/frutos-do-espirito.jpg

Oração para pedir

Os Dons do Espírito Santo

Senhor, enviai Vosso Espírito

e tudo será criado

e renovareis a Face da Terra!

Senhor, que perscrutais todos os corações e conheceis todos os problemas, Espírito de Luz e de Amor, derramai sobre mim, eu vos suplico, a plenitude de vossos Dons.

Dai-me o Espírito de Sabedoria, que me faz ver as coisas, não de acordo com o julgamento deste mundo, mas de acordo com o Vosso.

Ó Senhor, que eu possa repetir, como Salomão: “Desde a minha infância eu amei a Sabedoria e a escolhi para minha companheira na vida.

Eu a preferi acima de tudo

o que é mais esplêndido no mundo,

e pensei que as riquezas

nada eram comparadas

com o preço de tamanha jóia.

Todas as coisas boas vieram

por intermédio dela,

e em todas as minhas dores e sofrimentos,

ela sempre foi o meu consolo

e a minha alegria”. (Prov. 8).

Dai-me também o Espírito de Inteligência, que me ilumina no conhecimento das Escrituras e das grandes Verdades Eternas.

A Fé e a Humildade são as virtudes que atraem o Espírito de Inteligência para a alma.

A Fé que nos submete para melhor compreendermos; a Humildade prontamente nos faz reconhecer nossa ignorância.

Dai-me o Espírito de Conselho, que ilumina o caminho para os Céus e evita que me perca como um viajante tolo que pega um caminho desconhecido sem um guia.

Dai-me o Espírito de Ciência, que me ensina que a ciência da Salvação é a única necessária, a única sem a qual nenhuma ciência humana se pode realizar.

Dai-me o Espírito de Força, que não me deixa tão fraco após o mínimo esforço, tão débil quando tenho que obedecer ao invés de fazer o que desejo, ou trabalhar quando não tenho o menor desejo de fazê-lo, que me dá força para conquistar a mim mesmo quando a Lei de Deus assim me ordena!

Dai-me o Espírito de Piedade, que dá ao meu coração uma atração filial para com o Pai e que me faz servi-lo com alegria e tranquilidade!

Dai-me o Espírito de Temor, temor filial que, combinado com o respeito e o amor, me faz evitar cuidadosamente tudo aquilo que possa desagradar a Deus, nosso Pai!

Ó Dons Preciosos, cuja excelência aprendi a conhecer, vede como minha alma clama por Vós com confiança e se Vos abre com Amor.

Santos Apóstolos, que no Dia de Pentecostes recebestes os Dons do Espírito Santo, concedei-nos, com algumas das mesmas graças, uma fidelidade similar à que era vossa, de modo que, acreditando naquilo que recebestes e transmitistes, praticando os vossos trabalhos, vivendo e morrendo com a Igreja que vós fundastes, possamos compartilhar convosco,

Ó Santos Apóstolos, a regozijadora recompensa dos Céus!

Que assim seja!

 



ORAÇÃO PARA PEDIR

OS FRUTOS DO ESPÍRITO

Senhor, recebemos de vossas mãos as sementes da liberdade, da justiça, do amor e da paz.

Fazei de nós semeadores da boa semente.

Que o vosso Espírito nos conduza nesta missão de semear fraternidade e promover a vida.

Livrai-nos das ervas daninhas do egoísmo, da injustiça e de todo mal.

Quando ela cresce entre nós dá frutos amargos de “fornicação, impureza libertinagem, idolatria, superstição, inimizades, brigas, ciúmes, ódio, ambição, discórdias, partidos, invejas, vícios, orgias e outras coisas semelhantes”.

Livrai-nos destes frutos de morte!

Que a vossa boa semente, regada pela Água Viva do vosso Espírito, dê abundantes frutos de vida.

Dai-nos, Senhor, os doces frutos do Espírito Santo:

“caridade, alegria, paz, paciência, afabilidade, bondade, fidelidade, brandura e temperança”.

Que o Dom do Amor, derramado em nossos corações, possa frutificar cada vez mais a fim de saciar quem tem fome e sede de justiça.

Mas que nossos frutos de solidariedade e de promoção humana possam saciar também tantos irmãos e irmãs famintos de pão, de saúde, de emprego e de escola.

Senhor, presente no supremo fruto da Eucaristia, fazei de nós hóstias vivas para alimentar vosso povo faminto de pão e de esperança.

Enviai o vosso Espírito, doador de todos os dons, e dai-nos os vossos frutos de Amor. Amém.

Pe. Joãozinho, scj – Oração inspirada em Gálatas 5,13-26


ORAÇÃO PARA PEDIR

OS DONS DO ESPÍRITO SANTO

Vinde Espírito Santo

E dai-nos o Dom da Sabedoria

Para que possamos avaliar todas as coisas à luz do Evangelho

E ler nos acontecimentos da vida os projetos de amor do Pai

Dai-nos o Entendimento

Uma compreensão mais profunda da verdade

A fim de anunciar a salvação com maior firmeza e convicção

Dai-nos o Dom do Conselho

Que ilumina a nossa vida

E orientai a nossa ação segundo vossa Divina Providência

Dai-nos o Dom da Fortaleza

Sustentai-nos no meio de tantas dificuldades

Com vossa coragem para que possamos anunciar o Evangelho

Dai-nos o Dom da Ciência

Para distinguir o Único Necessário

Das coisas meramente importantes

Dai-nos Piedade

Para reanimar sempre mais nossa íntima comunhão convosco

E, finalmente, dai-nos vosso santo Temor

Para que, conscientes de nossas fragilidades,

Reconhecermos a força da vossa graça.

Vinde Espírito Santo

E dai-nos um novo coração. Amém.

Pe. Joãozinho – Oração inspirada na Carta de João Paulo II aos sacerdotes do mundo inteiro por ocasião da quinta-feira santa de 1998.


RCC ANÁPOLIS
http://presentepravoce.files.wordpress.com/2008/05/terco.jpg?w=130&h=120
http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/paixao-de-jesus.jpg?w=130&h=120
http://mongefiel.files.wordpress.com/2008/05/eucaristia.jpg?w=130&h=120




 



Oração ao Espírito Santo


Ó Espírito Santo, Espírito divino de luz e de amor, eu Vos consagro a minha inteligência, o meu coração, a minha vontade, todo o meu ser, no tempo e na eternidade.

Seja a minha inteligência sempre dócil às celestes inspirações e à doutrina da Santa Igreja Católica, da qual sois infalível guia; seja o meu coração sempre inflamado de amor por Deus e pelo próximo; seja a minha vontade sempre conforme com a vontade divina, e toda a minha vida uma fiel imitação da vida e das virtudes de Jesus Cristo Nosso Senhor e Salvador, ao qual com o Pai e convosco seja dada honra e glória para sempre.

Assim seja.

Ó Espírito Santo, eu Vos adoro.

Esclarecei‑me, guiai‑me, fortificai‑me, consolai‑me, dizei‑me o que devo pensar, dizer, fazer e dai‑me as Vossas ordens; prometo submeter‑me a tudo que desejardes de mim e aceitar tudo que permitirdes que me aconteça, fazei‑me unicamente conhecer a Vossa vontade santíssima e concedei‑me a graça de a cumprir fielmente.

Espírito Santo, sede o princípio de todas as operações da minha alma, para que sejam sempre conformes ao Vosso Divino Beneplácito!



Eliana Ribeiro

Vem Espírito Santo






Na Língua dos Anjos




Chocolate, Coelhinho, Coelho da Páscoa, Coroa de Espinhos, Crucificado, Crucificção, Cruz, Feliz Páscoa, Jesus, Mensagem, morte, Ovos de Páscoa, Pascoa, Pernalonga, Vida, Vida Nova. Mensagens e Coelhos da Páscoa.



Lindas mensagens com

fotos de Jesus,

coelhos, ovos de chocolate.

Em comemoração à

Páscoa do Senhor Jesus.


Molduras_tema_de_pascoa


FELIZ PÁSCOA PARA TODOS.



Pernalonga
Coelho não poe ovos Coelho não poe ovos



Pernalonga
Coelho não poe ovos Coelho não poe ovos


Ovos de páscoa


Semana Santa,

Meditando uma Nova vida.


PAIXÃO DE CRISTO

PAIXÃO DE CRISTO

PÁSCOA – PPT


Semeando a cultura de Pentecostes