Repouso no Espírito e Renovação Carismática.



Na Renovação Carismática, encontram-se várias manifestações do poder do Espírito Santo, que de início espantaram grandemente, mas que são agora mais facilmente admitidas como autênticas; é assim com o dom das línguas, das curas, a Efusão do Espírito, a imposição das mãos.

Mas há um fenômeno sobrenatural menos conhecido, que se torna cada vez mais frequente na Renovação Carismática: é o repouso no Espírito. Depois de um estudo atento sobressai, sem equívoco possível, que esta experiência encontra o seu fundamento na teologia.



Repouso2

Jesus Repousa tranquilamente enquanto os anjos o assistem.



Repousar no Espírito é

Descansar nos Braços do Pai.


 “Só em Deus repousa minha alma, só dele me vem a salvação.”

(Salmos 61,2)

“Por isso meu coração se alegra e minha alma exulta, até meu corpo descansará seguro,”

(Salmos 15,9)


Repouso No Espírito:

Renovação Carismática:



Com efeito, o repouso no Espírito reveste-se das características do arrebatamento (que é uma espécie de êxtase) salvo na sua causa imediata, que é o pedido feito a Deus, numa oração apropriada.

Convém lembrar que se encontra uma situação semelhante no Batismo do Espírito. Com efeito, este favor espiritual era normalmente concedido àqueles que faziam progressos notáveis na vida espiritual, enquanto que agora é recebido até pelos pecadores, por vezes de um modo instantâneo, na sequência de uma oração feita por outros para esse fim. É assim, também, para o repouso no Espírito. Outrora, apenas se encontrava (pelo menos na maior parte das vezes) nas pessoas avançadas na vida espiritual; pelo contrário, nos nossos dias, a oração ao Espírito Santo obtém-no até para os pecadores.

Como é um arrebatamento, o repouso no Espírito é da mesma família da ordem extática, mas não arrasta consigo a santificação da pessoa nalguns instantes. Esta experiência mística é destinada a favorecer uma vida cristã mais fervorosa ou uma conversão do coração.

Habitualmente, o arrebatamento verifica-se em pessoas avançadas na vida espiritual, ou, como dizia Santa Teresa d’Ávila, que atingiram as sextas moradas do castelo interior. Não se chega, portanto, de um pulo, ao período do êxtase ou do arrebatamento; em geral este é precedido de uma série de etapas de contemplação infusa, das quais a menos elevada é chamada por Santa Teresa d’Ávila “oração de contemplação”.


Jesus_Madalena

Repouso no Espírito Repouso no Espírito Ordenação Sacerdotal

Lembremo-nos de que há três graus no êxtase:
1) O êxtase simples, quando este se produz lentamente, ou se não é muito forte;
2) O deslumbramento, quando o êxtase é súbito e violento;
3) O voo do espírito, quando, como diz Santa Teresa d’Ávila, “age de tal maneira que o espírito parece verdadeiramente sair do corpo”.

Ora, as características do deslumbramento encontram-se no repouso no Espírito, salvo, evidentemente, o grau avançado de vida espiritual. Com efeito, acontece que Deus concede uma tal experiência espiritual a pessoas de virtude vulgar, ou a principiantes na vida espiritual, a fim de os atrair a Si.

O repouso no Espírito resulta, mais frequentemente, da imposição das mãos, ou pelo menos de um toque da mão na cabeça, embora esse gesto não seja sempre necessário. A pessoa começa a vacilar, para finalmente cair devagarinho para trás. Esta queda é causada por uma graça tão poderosa do Espírito Santo que o corpo já não pode suportá-la e, então, as suas forças abandonam-no. Contudo, é preciso esclarecer que a queda não é obrigatória e não condiciona, necessariamente, a recepção da graça. Por outro lado, aqueles que não “caem” são afetados por uma vertigem não desagradável, tremuras ou pernas debilitadas, mas estas manifestações físicas são impregnadas de doçura e de paz. A sensação interior de repouso no Espírito parece existir também nas pessoas que não caem.


Jesus_Madalena Jesus_Madalena Aos Pés do Mestre

Repouso no Espírito e Missão Divina

O repouso no Espírito supõe uma nova efusão do Espírito Santo ou, mais precisamente, como se chama em teologia, uma nova missão deste Espírito Divino. Lembremos que as Missões Divinas, quer dizer, o envio das Pessoas do Filho e do Espírito Santo, podem ser visíveis ou invisíveis. Estas últimas constituem as principais modalidades da ação santificadora da Trindade Santa nas nossas almas.

Quanto ao repouso no Espírito, não é uma nova vinda da Pessoa do Espírito Santo, já recebida no Batismo; pelo contrário, consiste numa nova efusão das suas graças e das suas manifestações. Esta nova efusão do Espírito Santo realiza, então, uma renovação real da relação da pessoa com o Espírito Santo que já a habita e uma experiência de Deus mais íntima, que se abre num conhecimento amoroso mais ardente.

O repouso no Espírito é, portanto, o efeito de uma missão divina, porque comporta o progresso na vida espiritual e porque constitui um novo estado de graça santificante.


2020 apagar h2

MISSA CARISMÁTICA Missa Carismática MISSA CARISMÁTICA

Repouso e Batismo no Espírito

O repouso no Espírito resulta, portanto, de uma nova efusão do Espírito Santo, mas de um gênero diferente da que o Batismo no Espírito provoca. Com efeito, a experiência espiritual do repouso no Espírito parece realizar-se, sobretudo, ao nível da inteligência. Pelo contrário, o Batismo no Espírito verifica-se, em especial, ao nível da afetividade.

O repouso no Espírito desenvolve consideravelmente a acuidade intelectual, no sentido em que a atenção é mais levada para a experiência atual da intimidade divina. A consciência é amplificada, mas é desviada das realidades exteriores e é mais centrada na realidade sobrenatural. Por outro lado, os limites pessoais podem, também, tornarem-se mais manifestos. Há, portanto, um engrandecimento da lucidez interior sobre Deus e sobre si próprio.

O repouso no Espírito é um arrebatamento que interrompe o conhecimento que se pode adquirir por si próprio. O Espírito Santo não faz, portanto, um vazio na inteligência, mas suspende temporariamente a sua atividade, fixando-a em Deus. É isto que se chama, em teologia mística, a “ligação das faculdades”.

Tudo o que a alma conhece pelas suas próprias forças não é nada, em comparação com os conhecimentos abundantes e rápidos que lhe são comunicados durante os arrebatamentos. O repouso no Espírito é frequentemente acompanhado de luzes especiais e novas, que se dirigem para Deus, para o Cristo, para a sua misericórdia, para o valor da vida cristã, para os pecados, para os defeitos, os insucessos, etc. Estas luzes não acontecem sempre explicitamente durante o repouso no Espírito, mas a sua compreensão desenvolve-se ao longo das horas ou dos dias que se seguem à experiência.

Durante os arrebatamentos e, portanto, durante o repouso no Espírito, Deus revela segredos de ordem sobrenatural; habitualmente, sente-se que a inteligência cresce, que há um aumento das faculdades superiores. Acodem ao espírito ideias profundas, mas é impossível explicá-las com detalhe e com precisão. Isto advém do fato não de que a inteligência estivesse como que adormecida, mas de que foi elevada a verdades que ultrapassam a capacidade do espírito humano.

Enquanto a inteligência conhece uma dilatação prodigiosa, a atividade da imaginação está suspensa durante os períodos culminantes. Quanto mais a luz é forte, mais a alma se sente encandeada, cega. Por outro lado, se ficarmos somente pelas aparências, o repouso no Espírito pode apresentar algumas semelhanças com os estados parapsicológicos, como os estados hipnóticos, histéricos, mediúnicos, magnéticos, letárgicos, cataléticos… Contudo, a semelhança é apenas exterior; apresenta-se somente nos fenómenos corporais, que têm relativamente pouca importância no repouso no Espírito. Quanto à sugestibilidade, pode, por vezes, contribuir para provocar o repouso no Espírito; contudo, não se deve exagerar a sua importância. De qualquer maneira, é impossível que a sugestão, por si própria, possa provocar uma reação tão violenta e tão súbita como o repouso no Espírito.


Repouso2

SVE I – Encontro de Jovens – Diocese Santo André.


Repouso no Espírito e incapacidade corporal

O repouso no Espírito traduz-se, habitualmente, por uma incapacidade corporal. A pessoa começa por vacilar, para finalmente cair suavemente para trás; a energia física desvanece-se. A pessoa está como que ofuscada pela intensidade da presença interior do Espírito Santo. Há, então, incapacidade de adaptar o psiquismo e os sentidos a uma experiência espiritual tão intensa.

Em termos técnicos, pode dizer-se que, no decurso do repouso no Espírito, só o “Pneuma” se liberta para se “aquecer” no seio do Pai, enquanto que a “psique” está como que ligada desde que se deu a “invasão” do corpo pelo Espírito Santo. Enquanto a pessoa “repousa” no chão, parece estar num meio-sono, banhada numa grande paz. Terá, por vezes, a impressão de estar como num outro mundo, ou ainda, como do lado de fora do seu corpo. Saboreia uma grande alegria interior, um amor de Deus muito intenso, a que se junta por vezes uma cura física ou interior, ou opera-se uma conversão profunda. O repouso no Espírito dá, frequentemente, forças novas ao corpo e ao espírito, tal como o sono natural regenera as forças corporais. O repouso no Espírito é uma inibição reparadora.

Quanto à duração, vai de alguns segundos até algumas horas. Quanto mais tempo dura, mais a influência divina é susceptível de ser profunda. A maior parte das pessoas deseja não ser incomodada, a fim de saborear esta presença invulgar de Deus.


Ordenação Sacerdotal Aos  pés de Jesus Ordenação Sacerdotal

Como recebê-lo

De uma maneira geral, pode dizer-se que uma pessoa que está habitualmente aberta às inspirações do Espírito Santo, esteja ou não avançada na vida espiritual, está mais disposta ao repouso no Espírito. Pode notar-se, contudo, uma diferença: é que a pessoa avançada continuará tranquila e sossegada, enquanto que a outra estará sujeita à emoção.

Se o repouso no Espírito não se produz, a pessoa poderá, até mesmo, ser santa e habituada à influência do Espírito. De qualquer maneira, é preciso evitar fazer um julgamento geral sobre as pessoas que recebem o repouso no Espírito e as que não recebem. Mas, em poucas palavras, pode dizer-se que apenas não se recebe o repouso no Espírito porque se resiste, recusando-o, ou então porque se está habituado à ação do Espírito em si próprio.

Por outro lado, o repouso no Espírito sobrevém, a maior parte das vezes, na oração. Pode tratar-se de um grupo de pessoas, mais ou menos considerável, reunido para uma oração comum, seja litúrgica, seja carismática; mas uma ocasião muito favorável é a celebração eucarística, especialmente depois da santa comunhão. Quanto mais a atmosfera está impregnada de oração, mais o repouso no Espírito se manifesta, por vezes mesmo sem as que as pessoas sejam tocadas por outras. A oração de louvor é uma causa particularmente eficaz do repouso no Espírito. Este repouso também se produz, muitas vezes, a seguir a um ministério de pregação, confinante a orações de cura. Convém assegurar um clima tranquilo na assembleia e evitar a exaltação da assistência e toda a procura de espetáculo.

Pe. O. Melançon, CSC 

Site Oficial da RCC – Brasil




!


O Livro da Capa Preta

Power Point – PPT

A Sabedoria esatá acima da Inteligência – Post


O Ministério de Cura na Igreja Católica.


De acordo com a Tradição e os ensinamentos da Sagrada Escritura.


Um dos méritos da Renovação Carismática Católica é o de ter redescoberto uma das características da Igreja Primitiva, o antigo carisma da cura, na Igreja dos dias atuais.

Hoje também, o Espírito Santo quer realizar as mesmas coisas que lemos nas páginas das Escrituras. Ele não perdeu nada de seu poder e nenhum de seus dons. A missão de Jesus e da Igreja ainda não terminou. E deve continuar, através dos apóstolos dos tempos modernos, que pregam e realizam os mesmos atos de poder que Jesus e os Apóstolos, até a fazer “maiores obras do que Ele mesmo”, por que, indo para o Pai, Ele confiou à Igreja a tarefa de continuar o seu ministério (Jo 14, 12).

Portanto, a evangelização feito pela Igreja Católica, que é uma extensão da missão do Senhor Ressuscitado, deve ser acompanhada pelos carismas divinos do Espírito Santo, conforme descritos para nós nos Atos dos Apóstolos e no Evangelho de S. Marcos (ver Mc 16,18b).

Jesus mandou os apóstolos pregarem, curarem e expulsarem os demônios (ver Mc 10, 7-8) mas, se a Igreja Católica só pregasse sem expulsar os demônios, não estaria fazendo a vontade de Jesus! Se a Igreja Católica pregasse a mensagem da salvação sem continuar a fazer as mesmas obras que Jesus fazia, seria como se traísse o mandato que Deus deu à Igreja. Proclamar a doutrina da divina salvação que é abstrata, teórica, intelectual ou moralista, sem ser uma salvação de fato, ou falar de um conceito de salvação que seja eficaz, seria uma retórica vazia.

O Santo Padre, o Papa João Paulo II, diz que Cristo é o redentor do homem todo (Redemptor Hominis), espírito, alma e corpo. O ministério da cura testemunha o cuidado e a compaixão que Jesus e sua Igreja tem pelos enfermos, não apenas no espírito, mas, também no corpo.

Portanto, os católicos são levados pela Palavra de Deus a exercer os ministérios carismáticos, entre os quais está o da cura. São motivados a desejar sincera e humildemente estes carismas para a edificação da Igreja (1 Cor 12,4-11; Ef 4, 11; Rm 12, 6-9) e a libertar-se de todos os obstáculos que restrinjam o seu uso. S. Paulo diz: “A respeito dos dons espirituais, irmãos, não quero que vivais na ignorância” (1 Cor 12, 1).

No ensinamento da Igreja Católica

A este respeito, o ensinamento oficial da Igreja Católica no Concílio Vaticano II foi o de encorajar o uso dos carismas para a evangelização, como revelado na Constituição Dogmática sobre a Igreja: os Carismas “são úteis para a renovação e para a crescente expansão da Igreja” (LG 12).

Também, de acordo com a Lumen Gentium, “estes carismas, embora extraordinários, devem ser recebidos com gratidão e grande alegria”. Para apoiar o uso do ministério de cura na Igreja Católica, o Vaticano expressou-se em três ocasiões importantes:

a) O primeiro é um relatório editado por quatro Dicastérios do Vaticano, que afirma que uma atenção especial deve ser reservada à dimensão da experiência, isto é, à descoberta da pessoa de Cristo através de uma vida de oração e de serviço (por exemplo, na Renovação Carismática e em outros movimentos, a experiência de “nascer de novo”).

Obs.: Atenção especial deve ser dada ao ministério de cura através da oração.

b) O segundo documento é uma carta do Secretário de Estado do Vaticano, em nome de João Paulo II, aos participantes do Seminário Internacional sobre o Ministério de Cura organizado pelo Pontifício Conselho dos Leigos e pelo ICCRS, em San Giovanni Rotondo (Foggia), em outubro de 1995: “Sua Santidade espera que o Seminário contribua para uma maior apreciação dos dons carismáticos de cura nos seus aspectos essenciais em relação à fé em Cristo e à edificação de sua Igreja, na unidade e no amor”.

c) O terceiro documentos foi publicado recentemente pela Congregação da Doutrina da Fé, intitulado “Instrução para oração para receber a cura de Deus”.

A contribuição da Renovação Carismática Católica

Através do ensinamento da Igreja primitiva e da doutrina da Igreja Católica, a Renovação Carismática Católica aprendeu a usar o ministério de cura na evangelização. A Renovação Carismática Católica sabe da importância de seguir os ensinos do Magistério Eclesial e de ouvir “cum Ecclesia” (“com a Igreja”), e é por esta razão que ela assumiu a tarefa de continuar sua missão evangelizadora na Igreja, exercendo corajosamente o ministério de cura na proclamação da palavra de Deus. O ministério de cura é também, conforme uma de nossas expressões, uma oração de libertação que muitas vezes é acompanhada de benefícios tanto espirituais como físicos (cf. Mc 16, 18; 1 Cor 12, 9; Tg 5, 14). E aqueles que foram libertados e curados são chamados a dar testemunhos para que os cristãos sejam um sinal de que o Reino de Deus está entre os homens (ver Lc 10, 9; Mt 11, 4).

No ministério de cura há a expressão de fé, de que a salvação e a cura são para a pessoa toda. Cristo não veio somente para salvar as almas mas, para o homem em sua totalidade. A imposição das mãos e a unção com óleo são maneiras através das quais a Igreja expressa sua fé. Jesus veio como o grande Médico que cura as almas enfermas de pecado e de doenças físicas. Ele é o Redentor do homem.
Neste ministério podemos encontrar uma lição preciosa de alta pedagogia: o toque do divino na carne do homem mostra a boa nova de que mesmo os mais fracos são merecedores de tornar-se recebedores de honra, através da qual Deus revela os ministérios do Reino. Não é difícil encontrar em nossas comunidades pessoas que são usadas por Deus para levar cura a outras. Suas mãos tornam-se mãos de Deus e seu toque revela o poder de Deus. Isto é realmente um mistério!

Muitas vezes é o ministério de cura que causa as maiores preocupações à autoridade da Igreja. O relacionamento corpo-espírito, redescoberto na Renovação, faz a oração carismática parecer incontrolável e muito emocional àqueles cuja aproximação a Deus é fundamentalmente de maneira cognitiva.
Apesar disto, é este relacionamento corpo-espírito que atrai aqueles que sabem que nem tudo está “sob controle”, aqueles que não tem nada a perder. São estas pessoas que aceitam abrir os braços para Deus; porque Deus é uma realidade e não uma teoria: Ele é uma pessoa viva e quando esta gente o experimenta pessoalmente, diz que uma enorme mudança acontece em suas vidas. O “Deus do Céu”, veio para viver dentro delas e afirmam que não são mais as mesmas.

A respeito do importante argumento do carisma da cura, o Pontifício Conselho para os Leigos do vaticano convidou o ICCRS para colaborar na organização de um importante “Colóquio sobre a oração de cura e a Renovação Carismática Católica”, que se realizou em Roma em novembro último e reuniu especialistas, teólogos, bispos, cardeais e líderes de destaque da Renovação Carismática Católica de todo o mundo.

Tal colóquio mostrou a importância que hoje tem o ministério de cura para as autoridades eclesiásticas e a decisiva contribuição que a Renovação Carismática Católica pode dar na sua redescoberta e em seu uso na Igreja Católica de nossos dias.
ALGUMAS PERGUNTAS E RESPOSTAS IMPORTANTES

I – O que é Ministério de Oração por Cura e Libertação

Como um dos Ministérios exercidos por participantes do Movimento Eclesial da Renovação Carismática Católica no Brasil, o Ministério de Oração por Cura e Libertação é o serviço que alguns servos ministeriados e preparados com adequada formação, prestam aos membros participantes dos Grupos de Oração, visando evangelizá-los e orientá-los a buscarem a cura e a libertação para si e para os seus, em Jesus – o Senhor vivo e ressuscitado -, através da oração dos irmãos.

Tem como objetivo reacender a chama da fé no coração de todos, pois “Jesus Cristo é sempre o mesmo: ontem, hoje e por toda a eternidade” (Hb 13,8), realizando sinais, milagres, prodígios e maravilhas no meio de nós; na certeza que o plano do Pai é nos conceder em Jesus Seu Filho, vida em plenitude (cf. Jo 10,10), pelo poder do Seu Santo Espírito.

II – O que faz o Ministério de Oração por Cura e Libertação

Os servos Ministeriados na Oração por Cura e Libertação, devem acolher todos aqueles que vêm aos Grupos de Oração em busca de intercessão e de orientação para seus problemas e/ou dificuldades pessoais, familiares.

Devem estar preparados para ouvi-los com atenção, discrição e evitando emitir opinião pessoal sobre as situações partilhadas, e mantendo sempre rigoroso sigilo dos fatos.
Se aqueles que vieram pedir aconselhamento, desejarem, orar por cada um, sob a inspiração do Dom de Oração em Línguas, da Palavra de Ciência e do Discernimento dos Espíritos, procurando ajudá-los a compreenderem o Plano de Deus.
Aconselhá-los, sob a inspiração da Palavra de Sabedoria, dando-lhes algumas orientações práticas quanto à vida com Deus e com os irmãos, para que cheguem à solução de seus problemas e a viverem segundo a vontade do Pai.

Tudo isto os incentive a viverem na graça de Deus, orando mais intensamente, participando com maior assiduidade dos Sacramentos e da vida comunitária, sendo mais perseverantes da leitura e meditação da Bíblia Sagrada, para assim escutarem o Senhor e viverem o Amor.

Por: Marcelo Marangon

(Coord. Estadual do Min. Oração por Cura e Libertação)

http://www.rccsp.org.br


.


Ministério de Cura e Libertação.

Sobre o Ministério de Cura e Libertação

Cura, o ministério do amor!

Jesus veio ao mundo para nos salvar de tudo, para nos curar de toda e qualquer enfermidade: “O Espírito de Deus está sobre mim porque ungiu para anunciar a boa nova aos pobres. Enviou-me para proclamar aos cativos a libertação e aos cegos a recuperação da vista, para restituir aos oprimidos a liberdade, e proclamar o ano da graça do Senhor” (Lc 4,17c-19).

O Ministério de Oração por Cura e Libertação é o serviço prestado no grupo de oração, orientando seus participantes a buscar a cura e a libertação para si e para os seus, em Jesus, através da oração dos irmãos. O objetivo deste ministério é reacender a chama da fé no coração de todos, Jesus é o ontem, o hoje e sempre estará realizando seus milagres e derramando suas graças em cada um. Deus concede a seus filhos vida em plenitude em Jesus Cristo pelo poder de seu Espírito Santo.

Tipos de cura

“Levando em conta que o homem tem três dimensões: corpo, alma e espírito (cf. 1Ts 5,23), compreendemos que existem os males físicos, os da alma ou interiores e os espirituais. Se somos atingidos em qualquer área interior, necessitamos de uma cura interior; se somos atingidos em nosso espírito, contaminando-nos com falsas doutrinas e apartando-nos da sã doutrina da salvação, precisamos de uma cura espiritual ou libertação; se somos atingidos no corpo com alguma enfermidade, necessitamos de uma cura física.” (Perdigão, 2002).

Encontro no CEJP II

22 e 23 de Outubro de 2011

O ESPÍRITO SANTO NOS RENOVA PELO BATISMO.


O Pai Envia seu espírito sobre Nós.


O ESPÍRITO SANTO, que é Deus juntamente com o Pai e o Filho, nos renova pelo batismo; e do nosso estado de imperfeição, reintegra-nos na beleza primitiva. Torna-nos de tal forma repletos de sua graça, que não podemos admitir em nós qualquer coisa que não deva ser desejada. Além disso, liberta-nos do pecado e da morte. E de terrenos que somos, quer dizer, feitos do pó da terra, nos faz espirituais, participantes da glória divina, filhos e herdeiros de Deus Pai. Faz-nos ainda conformes à imagem do Filho, seus co-herdeiros e irmãos, destinados a ser um dia glorificados e a reinar com ele. Em vez da terra, dá-nos de novo o céu, abre-nos generosamente as portas do paraíso, honra-nos mais do que os próprios anjos. E com as águas divinas do batismo, apaga as imensas e inextinguíveis chamas do inferno.

Os homens são concebidos duas vezes: uma corporalmente, a outra, pelo divino Espírito. Acerca de um e de outro nascimento, escreveram muito bem os autores sagrados. Citarei o nome e a doutrina de cada um. João diz: A todos que o receberam, deu-lhes a capacidade de se tornarem filhos de Deus, isto é, aos que acreditam em seu nome, pois estes não nasceram do sangue nem da vontade da carne nem da vontade do homem, mas de Deus mesmo (Jo 1,12-13). Todos os que acreditaram em Cristo, afirma ele, receberam a capacidade de se tornarem filhos de Deus, quer dizer, do Espírito Santo, e participantes da natureza divina.

E para ficar bem claro que o Deus que gera é o Espírito Santo, acrescenta estas palavras de Cristo: Em verdade, em verdade, te digo, se alguém não nasce da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus (Jo 3,5). A fonte batismal dá à luz de maneira visível nosso corpo visível, pelo ministério dos sacerdotes; mas o Espírito de Deus, invisível a todas as inteligências, é que batiza e regenera simultaneamente o corpo e a alma, pelo ministério dos anjos.

João Batista, historicamente e de acordo com esta expressão: da água e do Espírito, diz a respeito de Cristo: Ele vos batizará no Espírito Santo e no fogo (Mt 3,11; Lc 3,16). Como um vaso de barro, o homem precisa primeiro ser purificado pela água; em seguida, fortalecido e aperfeiçoado pelo fogo espiritual (Deus, com efeito, é um fogo devorador). Precisamos, portanto, do Espírito Santo para nossa perfeição e renovação. Pois o fogo espiritual sabe também regar, e a água batismal é também capaz de queimar como o fogo.
Fonte: Do Tratado sobre a Trindade, de Dídimo de Alexandria

Semeando a cultura de Pentecostes



Somos Curados na Presença de Jesus.

Totalmente curados e transformados pela adoração ao Santíssimo Sacramento.Além de recebermos Jesus Eucarístico, é preciso adorá-Lo no Santíssimo Sacramento. Seja adorador! Se, por vários motivos, você não puder permanecer por muito tempo em adoração, passe pelo menos cinco minutos por dia diante de Jesus presente no sacrário.

 

Não somos capazes de imaginar os benefícios que recebemos quando estamos em adoração diante do Santíssimo Sacramento. Estamos diante do Senhor, apesar de não vê-Lo e senti-Lo. Os nossos sentidos não captam, mas Cristo está ali e está nos vendo com olhos humanos, sorrindo ou chorando conosco.

Da mesma forma que nos unimos ao sofrimento de alguém que amamos, quando essa pessoa se encontra com problemas ou doente, Jesus une-se a nós. No momento em que estamos diante do Santíssimo Sacramento, Jesus está diante de nós. Não fazemos favor nenhum em estar na Sua presença, pelo contrário, é Ele quem nos faz um enorme favor. O Senhor, na Eucaristia, deseja ardentemente esse encontro e, como ovelhas machucadas, precisamos nos encontrar com Ele para a nossa cura.

Assim como os raios vieram do ostensório que Clara de Assis apresentou diante daqueles homens, raios do poder de Deus virão e permanecerão sobre nós. Nos poucos minutos que passamos diante do Santíssimo Sacramento, tomaremos um banho de luz, de poder, de divindade e voltaremos para as nossas atividades, para o nosso serviço, nossa casa, impregnados da presença de Deus.

Se você tem a oportunidade de fazer adoração ao Santíssimo pelo espaço de meia hora, uma hora, ou até ficar em vigília, faça! Isso trará inúmeros benefícios para você e para sua família. Se não pode ficar um longo tempo com Jesus na Eucaristia, procure fazer pequenas visitas. Ao passar por uma igreja, entre, ajoelhe-se e por alguns instantes diga palavras de amor a Nosso Senhor Jesus.

Hoje encontramos também a oportunidade de participar em Comunidade do Cerco de Jericó, são muitas Comunidades, Grupos de Oração e diversas Paróquias que já executam o Cerco de Jericó mensamelte em datas previamente definidas e agendadas.   Nesta oportunidade podemos colocar nossos pedidos e intenções aos pés de Jesus e toda a comunidade estará orando durante sete dias initerruptos e intercedendo por estas intensões diante de Jesus exposto no Santíssimo Sacramento.   Sabemos das dificuldades e dos compromissos que todos nós temos, mas durante sete dias sempre podemos encontrar uma horinha para estarmos junto com a comunidade em oração, pelo menos não teremos a desculpa de que nos deu sono e não conseguimos perseverar em oração, são muitos os testemunhos de curas e libertação que as pessoas que fazem o cerco podem testemunhar terem recebido durante um cerco, portanto não perca você também esta oportunidade de se encontrar com Jesus e deixar em suas mãos todo o seu fardo, porque somente Ele é capaz de nos aliviar completamente.

“Vinde a mim todos vós que estais aflitos sobre o fardo e Eu vos aliviarei.”

Como Também dizia Madre Teresa de Calcutá:

“O tempo que você passa com Jesus no Santíssimo Sacramento é o melhor tempo que você passa na terra.”

CERCO DE JERICÓ.

“Quereis que o Senhor vos dê muitas graças? Visitai-o muitas vezes. Quereis que Ele vos dê poucas graças? Visitai-o poucas vezes. Quereis que o demônio vos assalte? Visitai raramente a Jesus Sacramentado. Quereis que o demônio fuja de vós? Visitai a Jesus muitas vezes. Quereis vencer o demônio? Refugiai-vos sempre aos pés de Jesus. Quereis ser vencidos? Deixai de visitar a Jesus.A visita é um meio muito necessário para vencer o demônio. Portanto, ide freqüentemente visitar Jesus, e o demônio não terá vitória contra vós.” Dom Bosco Terço do Santíssimo Sacramento Contas grandes: Anuncia-se o Mistério. Reza-se nas dez contas pequenas: Bendito e louvado seja o Santíssimo Sacramento da Eucaristia, o fruto do ventre sagrado da Virgem puríssima. Segue-se a Jaculatória e a Oração. 

Primeiro Mistério: Contemplamos como Nosso Senhor Jesus Cristo desceu do seio de Seu eterno Pai para vir ao mundo e livrar-nos com Sua morte santíssima da escravidão do pecado, e abrir-nos as portas do céu.

Jaculatória: Oh! Jesus, Deus de bondade, da paz e Autor da vida, enchei nossos corações de divino amor! Oração: Santíssimo Jesus, pela infinita caridade com que quisestes sofrer a fraqueza humana para o nosso bem e nossa felicidade, nós Vos pedimos o perdão de nossas culpas e um amor para Convosco que abrase nosso coração de tal sorte que só procuremos a Vossa honra e a Vossa glória.

Segundo Mistério: Contemplamos como Nosso Senhor Jesus Cristo nasceu no presépio de Belém, desprezado, pobre e desconhecido para nos merecer o céu e ensinar-nos a desprezar as riquezas da terra e procurar só as do céu.

Jaculatória: Oh! Jesus Divino, nossa vida, nosso amor, enchei o nosso espírito de um verdadeiro fervor. Oração: Oh! Bondade infinita do meu Jesus, de infinita caridade e sabedoria, com que quisestes nascer sobre a terra, experimentando logo as tiranias do cego mundo para assim ensinardes aos Vossos escolhidos e lhes conseguirdes a felicidade eterna, nós Vos pedimos que purifiqueis nossos corações do vil interesse por honras e riquezas caducas e os orneis dos puros sentimentos de que é dotado o Vosso, para que assim, desprezando tudo o que é terreno, só a Vós louvemos e amemos. Amém.

Terceiro Mistério: Contemplamos como Nosso Senhor Jesus Cristo na noite da Ceia instituiu este Sacramento de amor, repartindo entre seus discípulos, com Suas próprias mãos, o Seu Santíssimo Corpo, para os confortar e encher de amor e santidade.

Jaculatória: Bom Jesus, nós Vos louvamos no sacramento do Amor; sede sempre para nós um compassivo Senhor! Oração: Santíssimo Jesus e Bom Pastor de nossas almas, pela infinita caridade com que Vos quisestes deixar sacramentado para nosso socorro, amparo e consolação, nós vos pedimos que não consintais que nossos corações tenham amor e interesse mais do que a Vossa honra e a Vossa glória. Amém.

Quarto Mistério: Contemplamos como Nosso Senhor Jesus Cristo, justamente no dia em que instituiu o sacramento augusto de Seu Santíssimo Corpo, foi ofendido pelo pérfido Judas, que não temeu recebê-lo indignamente.

Jaculatória: Bom Jesus, sejais Bendito, pois sois nossa Redenção; sois toda a nossa ventura, nosso amparo e nossa consolação. Oração: Santíssimo Jesus, Mestre de paciência e bondade, pela mansidão e pelo sofrimento consentistes que Vosso indigno discípulo Vos recebesse sacrilegamente. Pedimos que não permitais que nós, pecadores, sem a cândida estola da graça Vos recebamos, mas antes, enchei-nos de uma grande pureza e perfeita caridade, para termos o prazer de muitas vezes comungar e louvar-Vos. Amém.

Quinto Mistério: Contemplamos como Nosso Senhor Jesus Cristo, depois de Sua Ressurreição, apareceu a Seus discípulos confirmando-os na fé e nas verdades do Reino eterno, prometendo-lhes mandar sobre eles o Divino Espírito Santo, para os encher de todas as virtudes.

Jaculatória: Coração misericordioso de Jesus, tende misericórdia de nós! Oração: Oh! Bom Jesus, pelo inefável mistério da vinda do Espírito Santo sobre Vossos apóstolos e discípulos, nós Vos pedimos que sejam cheias as nossas almas de Vossas santíssimas luzes, para acertarmos o caminho reto de Vos servir e amar, a fim de termos a felicidade de sempre Vos louvar sobre a terra, e reinar Convosco no céu, por todos os séculos.

Semeando a cultura de Pentecostes



Anuncia-me.


Anuncia – me  – 2011



Queridos irmãos em Cristo, que a paz de Jesus
e o amor de Maria esteja em cada Coração.

É com imensa alegria que venho através deste, convidar
você e sua famílía para participar do ANUNCIA-ME.


Este é um encontro onde Deus cura e liberta os Corações,
por isso você é nosso convidado especial.

Ajude-nos na
divulgação, repassando este convite para seus amigos.
conto com as orações de todos.
RCC – Alexânia – Diocese de Anápolis – Go


Programação:

Dia 28/02 a 07/03

Novena preparatória

Local: Paróquia do Imaculado Coração

de Maria – Alexânia – Go

Horário: 18:00

Dia 08/03 – Anuncia-me

Horário: 13:00

Anuncia-me, um encontro de Cura e Libertação, realizado pelo Grupo Bom Pastor da R.C.C, onde Deus manifesta, através de seu Filho e pelo poder do Espírito Santo a Cura e a Libertação na vida das pessoas.


Você é nosso convidado especial.

(Não é necessário pagar nenhuma taxa de inscrição, estaremos com lanchonete no local do evento).

Senhor, Salva-me!

.

ENCONTRO DIOCESANO

PARA INTERCESSORES

Mas, redobrando a violência do vento, Pedro teve medo e, começando a afundar, gritou:

“Senhor, Salva-me”

Mateus 14,30

Participação especial de José Roberto

como Pregador

Animação: Ministério de Música Discípulos de Jesus.

Congresso Teológico


Domingo dia 06/06/2010

Das 8:00 hs às 18:00 Hs

Encerrando com a

Santa Missa no Local

Rincão da RCC,

Centro de Evangelização

João Paulo II

Rua, “N” Nº 10 Bairro São Joaquim.

ENTRADA FRANCA

Por Apenas R$ 5,00 será servido o almoço no local

Organização:

Ministério de Intercessão

RCC – Anápolis – Goiás